TeachThought: Aprender melhor

O sítio TeachThought, LLC é uma plataforma leve de apoio a professores e educadores, tendo como palavras chave para a sua missão “Aprender melhor”.

Procurando explorar novos modelos de aprendizagem, a plataforma liga educadores e professores, em especial do ensino básico, não apenas com recursos e ideias, mas com modelos e currículos, partilhando experiências.

A suas ideias são fortemente influenciadas pelas linhas de pensamento de vários pedagogos e pensadores, num conceito que procura envolver a cultura, a comunidades, as instituições e currículos que as suportam, assim como as tecnologias emergentes e os média.

Ir para o sítio: TeachThought

 

6 sítios para conhecer e procurar por mais

Uma das formas mais eficazes para recarregar ideias, e enriquecer o “receituário” pessoal de soluções para os problema do dia da dia na escola é procrastinar pela net, navegando ao sabor da onda, percorrendo caminhos mais ou menos conhecidos, na certeza de que há sempre algo de novo e surpreendente à nossa espera.
Esta divagação não é sinónimo de perdição. Pelo contrário. Se não há tempo para verificar com atenção algum sítio, há muitas soluções para os guardar e voltar mais tarde.
A partilha de hoje diz respeito a 6 sítios e blogues interessantes que merecem uma visita porque, todos eles estão globalmente bem feitos, atrativos, consistentes e têm conteúdo. Vamos então a isso.

1— If It Were My Home

Comparar. Este site compara 10 dados entre dois países à escolha. Esperança de vida, mortalidade infantil, consumo de eltrcididade, emprego, saúde, etc.
Ligação: http://www.ifitweremyhome.com/

2 — Google Chrome Experiment

Site do Google Chrome onde são publicados trabalhos criativos criados pelos utilizadores. o Chrome Experiment é uma vitrine para experiências criativas na web, que podem ser construídas utilizando as mais variadas tecnologias. Todos são convidados a participar.
Ligação: http://www.chromeexperiments.com/

3 — Time and date

Tudo sobre o tempo. Calcular datas, para o passado e para o futuro. Organizar calendários, sincronizar fusos horários, verificar fusos horários, organizar calendários, e aplicações para diversos serviços, como iPhone, Android, tablets, etc.
Ligação: http://www.timeanddate.com/

4 — Educlipper

Educlipper é uma nova plataforma que funciona em termos semelhantes ao Pinterest e Learnist. O objetivo da plataforma é agregar, em especial, professores que partilhem conteúdos e sugestões de trabalho.
Ligação: Educlipper

5 — Kleinspiration

A inspiração da professora Klein leva-nos a descobrir uma escola, diferente, no mínimo, com algumas boas sugestões de organização e de trabalho. O seu blogue é também uma boa fonte de inspiração já que a professora Klein publica regularmente sugerindo ferramentas que a ajudam na sua tarefa.
Ligação: Kleinspiration

6 — Organized Classroom

Organized Classroom é, como nome indoca, um blogue que trabalha as questões da organização na sala de aula. conselhos, sugestões e ferramentas que ajudam sempre, principalmente quando o nosso receituário pessoal parece estar esgotado.

Ligação: Organized Classroom



VideoNot.es: tirar notas enquanto se vê vídeo

VideoNot.es é uma ferramenta online que permite aos utilizadores fazerem anotações enquanto assistem a vídeos no mesmo ecrã, lado a lado, em integração com o Google Drive.

Introduzindo o URL no lado esquerdo do ecrã carregamos o vídeo. No lado direito, fica o espaço para tomar notas. Estas notas podem (e devem) ser sincronizadas com o filme e são automaticamente guardadas na conta Google Drive. O que significa que podemos compartilhar, colaborar e publicar as notas realizadas acerca de um vídeo exatamente da mesma forma que o fazemos com qualquer outro documento Google.
Por agora, os vídeos do Youtube são os únicos acessíveis através desta ferramenta, mas, acredita-se que, com o seu crescimento e banalização, será possível fazer o mesmo com vídeos de outras origens.

As vantagens de uma ferramenta como esta para um professor, seja para preparação de materiais, seja para utilização direta na sala de aula são, parece-me, óbvias.
Com ela, os alunos podem observar e/ou tomar notas sem terem que alterar as janelas de observação e escrita, fazendo pausas, abrindo e fechando janelas. A ferramenta simplifica o processo de observação e aprendizagem, ganhando tempo, evitando distrações, promovendo a concentração dos alunos em duas coisas: assistir ao vídeo e tomar notas.

Ligação: Video Notes

Matemáticas com TIC

Existe uma grande variedade de aplicações de software livre dedicadas a facilitar ao professor de Matemática a introdução de tecnologias de informação e comunicação nas suas tarefas docentes. Algumas delas são bastante amplas e completas, mas também complexas.
As aplicações que se sugerem podem ser utilizadas em diferentes graus de ensino, em especial nos 3º ciclo e secundário, abrangendo, em grande medida, os conteúdos dos currículos. Por outro lado, pela sua simplicidade, podem também ser instaladas pelos alunos nos seus computadores para poderem trabalhar em casa e assim executarem os seus exercícios.

DMaths

O DMATHS é uma extensão do pacote gratuito OpenOffice.org para a inserção de fórmulas em documentos.
Qualquer tarefa que requeira a utilização de fórmulas, gráficos ou diagramas em matérias como matemática, estatística ou física pode utilizar esta aplicação, que se integra no processador de texto Writer do OpenOffice, como uma barra de ferramentas.

Ligação: http://www.dmaths.org/

Geogebra

Geogebra é uma aplicação que permite trabalhar com geometria dinâmica, álgebra e cálculo utilizando o computador. O seu objetivo é ser uma alternativa para a docência da geometria, álgebra, etc. de forma integrada, dinâmica e atrativa para os estudantes.
Esta aplicação de software livre foi criada por Markus Hohenwarter, do departamento de Didáctica da Matemática da Universidade de Salzburgo.

Ligação: http://www.geogebra.org

gMatESO

gMatESO é uma aplicação de facílima instalação, configuração e uso. É, sem dúvida, uma ferramenta que o professor pode utilizar nas suas aulas como complemento às suas explicações e os alunos podem comprovar se os resultados dos seus cálculos naturais e frações são corretos.
Em termos genéricos, o gMatESO consiste numa coleção de fichas de matemática muito úteis paora os alunos desde o último ano do 1º ciclo e até alguns níveis do secundário.
Diferencia-se das outras aplicações pelo detalhe que fornece dos passos a seguir até conseguir solucionar um exercício.
Há que ter em conta, no entanto, que embora possa ser utilizado como calculadora, o seu objetivo é didático e não deve ser considerado como um programa de cálculo científico.

Ligação: http://lubrin.org/gmateso/

Pyromaths

Pyromaths é um programa que permite criar exercícios matemáticos ou exames e a sua correspondente solução. De destacar que a correção proporcionada não diz apenas respeito aos resultados finais mas é muito completa, indicando todos os passos intermédios.
Pode ser utilizado tanto por professores como por alunos, já que disponibiliza a solução detalhada de cada exercício.
De origem francesa, esta aplicação está preparada para os diferentes níveis do sistema educativo francês, o que não impede a sua utilização noutros sistemas, desde que os professores façam as devidas adaptações curriculares.
Esta ferramenta, com versões windows e Mac OS, pode também ser utilizada online.

Ligação: http://www.pyromaths.org/enligne/

10 sítios com imagens de utilização gratuita

Educar para os valores deve ser, em qualquer circunstância, uma preocupação permanente de todos os docentes. Nesse sentido, educar os jovens estudantes a utilizar materiais, sejam textos, imagens, filmes, desenhos, etc, respeitando os direitos de autor, deve estar também na primeira linha das preocupações.
Tal caminho é importante não apenas pelo respeito para com os criadores, mas também pela responsabilidade que cada um deve ter quando os utiliza, ao mesmo tempo que valoriza o trabalho de cada um e também uma tomada de consciência para o nosso próprio trabalho e para os direitos que temos sobre aquilo que produzimos.

Alguns posts atrás, fiz referência a um sítio com imagens Creative Commons. No entanto, há na internet muitos lugares onde é possível obter boas imagens de qualidade de utilização livre, sem infringir qualquer lei nem atentar contra os direitos dos seus legítimos autores. Escolhemos 10.

Author: Jon Sullivan: http://www.public-domain-photos.com/travel/yellowstone/morning-glory-pool-4.htm

Pics4Learning

Pics4Learning é um repositório de imagens livre especialmente pensado para utilização em questões de educação e ensino. Alunos e professores podem utilizar as fotografias e imagens na turma, em projetos multimédia, web sites, vídeos, portefólios ou em qualquer projeto de cariz educativo.

Wikimedia Commons

A Wikimedia Commons disponibiliza mais de 16 milhões de imagens de utilização livre e gratuita. Algumas imagens exigem que o autor seja citado, sempre que é utilizada. Nada mais justo.

Stock Xchng

Stock Xchng é um repositório de imagens de autor, com mais de 350 mil fotos de cerca de 30 mil fotógrafos de todo o mundo. Em alguns casos, devidamente assinalados, a utilização das imagens obriga à referência do seu autor.

Freerange Stock

Freerange Stock é um sítio criado com o objetivo de recolher fotos de alta qualidade. Qualquer pessoa pode submeter as suas fotografias para aprovação. Todas as fotos são de utilização livre e os seus autores são pagos através dos cliques dados pelos utilizadores.

Imagens de domínio público

PublicDomainPictures.net é um repositório de fotos gratuitas de domínio público.
São mais de Mais de 30 mil imagens organizadas por categorias. Disponível em várias línguas, entre as quais a portuguesa.

Public Domain Photos

Public Domain Photos tem disponíveis 5 mil fotografias e 8 mil clip art de utilização gratuita, tanto pessoal como comercial.

PD Photo

PD Photo é um repositório de imagens para utilização gratuita, embora haja sempre a recomendação de fazer referência aos seus autores, em especial em trabalhos de cariz comercial.

Cepolina

Cepolina disponibiliza cerca de 20 mil fotografias originárias de todo o mundo, organizadas em cera de 1400 categorias, como plantas, animais, carros, alimentos, etc. Cada imagem pode ser guardada em sies formatos diferentes (até 1600×1200 pixels).

Bigfoto

Bigfoto.com é um sítio, existente desde o ano 2000, que disponibiliza imagens com boa qualidade, tanto para uso pessal, como comercial, de forma gratuita. A maioria das imagens é de fotógrafos amadores que gostam de ver as suas fotografias partilhadas na internet.

Pixabay

Pixabay, como já aqui falámos num post anterior, fornece mais de 65 mil imagens de alta qualidade, de utilização gratuita.

Muito espaço grátis para hospedar sites e blogues

Na hora de ter um blogue ou um sítio próprio, personalizável, e feito à nossa medida, é preciso ter uma instalação própria. Recorrer às soluções prêt-a-porter pode ser interessante em várias situações, mas de uma forma ou de outra acabamos condicionados, em especial se pretendemos juntar aos nossos conteúdos alguns anúncios e com eles ajudar a pagar as despesas. Continuar a ler “Muito espaço grátis para hospedar sites e blogues”

Wix: ter um site “prêt-à-porter”

Ter um site pessoal ou criar um espaço de trabalho com os alunos é hoje um das tarefas mais simples que se podem fazer na internet. Com o WIX essa tarefa é verdadeiramente simples, acessível a qualquer pessoa habituada a navegar na internet, sem exigir quaisquer conhecimentos de linguagem HTML e outros chavões do mundo da informática.

O registo é gratuito, permitindo a criação de um sítio a partir do zero ou através da seleção entre centenas de modelos pré-definidos, como uma loja de pronto a vestir. Continuar a ler “Wix: ter um site “prêt-à-porter””

20 sites com fotos grátis de primeira qualidade

Encontrar um boa fotografia nem sempre é fácil. E se o Google nos fornece instantaneamente muitas opções, elas não são, na sua esmagadora maioria, imagens de qualidade. Não apenas em termos artísticos, como de resolução, nitidez, etc.
Claro que há muitos espaços na internet de venda de imagens únicas, ou perto disso. No entanto, a quantidade de sítios onde é possível encontrar imagens de utilização livre e gratuita de muito boa qualidade, segundo vários factores, é também imenso. Dependendo do objetivo da imagem que se pretende, há sítios para tudo.
Na lista que se segue estão 17 sítios de imagens de ótima qualidade de utilização livre e outros três que, embora pagos, disponibilizam com regularidade imagens de grande nível gratuitamente. É uma questão de por lá passar de vez em quando.

Sunrise stroll - @ Bill Jonscher

Sites gratuitos

1. stock.xchng – http://sxc.hu/

2. Freerange Stock – http://freerangestock.com/

3. Morguefile – http://www.morguefile.com/

4. Pixel Perfect Digital – http://www.pixelperfectdigital.com/

5. Free Media Goo – http://www.freemediagoo.com/

6. Openphoto.net – http://openphoto.net/

7. Flickr – http://www.flickr.com/

8. Stockvault – http://www.stockvault.net/

9. NASA – http://nix.nasa.gov/

10. DeviantART’s Stock Images section – http://browse.deviantart.com/resources/stockart/

11. Everystockphoto – http://www.everystockphoto.com/

12. Creative Commons Search – http://search.creativecommons.org/

13. National Geographic – http://photography.nationalgeographic.com/photography/?source=NavPhoHome

14. Tumblr – http://garden-artistry.tumblr.com/archive

15. Photobucket – http://photobucket.com/

16. Piccsy – http://piccsy.com/

17. Reuters – http://blogs.reuters.com/fullfocus/

Sites pagos com áreas gratuitas

18. Dreamstime’s Free Section – http://www.dreamstime.com/free-photos

19. Fotolia’s Free Section – http://www.fotolia.com/FreeContents

20. iStockphoto’s Free Images – http://www.istockphoto.com/free_image.php

Software livre e educação

O software livre fornece valores muito interessantes tanto do ponto de vista da educação, como de nível técnico, económico e ético-cívico. A sua importância baseia-se em quatro liberdades essenciais aos utilizadores:

  1. A liberdade para executar o programa, para qualquer propósito .
  2. A liberdade de estudar como o programa funciona, e adaptá-lo a suas necessidades. Acesso ao código-fonte é um pré-requisito para esta liberdade.
  3. A liberdade de redistribuir cópias de modo que você possa ajudar ao seu próximo.
  4. A liberdade de aperfeiçoar o programa, e libertar os seus aperfeiçoamentos, de modo a que toda a comunidade beneficie. Acesso ao código-fonte é um pré-requisito para esta liberdade.

Acesso ao código-fonte é um pré-requisito para isso, enquanto o software de proprietário o proíbe expressamente, assim como qualquer tentativa de engenharia que tente reescrever o código que se encontre compilado nas suas aplicações.
Isto tem várias implicações. Por um lado, o custo de acesso ao software é muito pequeno, de modo que para qualquer escola é uma economia grande com licenças de software e, por outro, permite fornecer cópias do software aos alunos e suas famílias, continuando a usá-lo nos seus computadores, sem violar nenhuma lei, o que tem saudáveis implicações de cariz económico.


O software livre encripta os seus arquivos usando formatos abertos, o que aumenta a compatibilidade entre aplicações diferentes, sejam livres ou de acesso reservado, e entre sistemas operativos, uma vez que permite que os programadores de todo o mundo posam utilizar estes formatos nos seus projetos.
Qualquer pessoa pode ver o código fonte das aplicações, o que se para o comum dos mortais não é crucial, para professores e estudantes de programação é fundamental, já que podem estudar e compreender como os aplicativos estão a ser utilizados por milhões de pessoas, modificando-os elaborando novas soluções, melhorando-os.
Um dos aspectos interessantes é que não é preciso ser um programador para ajudar a melhorar as aplicações. As comunidades de programadores que trabalham em projetos de código aberto estão abertos a sugestões de utilizadores. Existem grupos de apoio online que compartilham informações e ajudam a resolver o problemas encontrados pelos utilizadores.

A utilização de software livre incentiva o espírito de boa vontade e ajuda, sobrepondo o bem da comunidade ao benefício económico, ensina que partilhar software e ideias beneficia quem recebe mas também que dá. Além do mais, ao permitir o estudo do código das aplicações permite a sua utilização em computadores mais baratos e acessíveis a muito mais pessoas que, de outra maneira, seriam info-exluídas.

Sítio web da Free Software Foundation