Pipe, a forma perfeita de enviar arquivos pelo Facebook

Há inúmeras ferramentas disponíveis na internet para partilhar arquivos. Temos sistemas de armazenamento online, como a Dropbox ou Skydrive, entre outros, e no entanto continuam a aparecer novas e inovadoras alternativas. Tal é o caso da Pipe.
Pipe é uma aplicação que nos permite enviar arquivos grandes( até 1 Gb) aos nossos amigos no Facebook.

Pipe facebook
A transferência de arquivos com esta ferramenta é muito fácil. Só temos que arrastar o arquivo que queremos subir e adicionar o amigo com o qual queremos partilhá-lo. Esta operação é suficiente para que o nosso amigo receba o arquivo. Se ele não estiver online quando se realizar a operação, o arruivo fica em espera, até que ele “apareça”.
A aplicação é muito simples e a sua interface é muito compreensível por qualquer pessoa.
Esta pode ser uma forma alternativa muito interessante para partilhar, sobretudo através do Facebook. Não é preciso registar-se, apenas é necessário instalar a aplicação e enviar o arquivo.

Fonte: Pipe



Guia Facebook para professores

Com mais de mil milhões de utilizadores em todo o mundo no início de Outubro, o Facebook é uma presença cada vez mais forte na vida social de todos, em especial dos jovens e, por isso mesmo, há que estar preparado para saber responder aos seus desafios.
O sítio Mashable, um dos mais esclarecidos sobre tecnologias de informação, publicou um artigo muito interessante sobre o tema, intitulado “The Teacher’s Guide to Facebook” que recomendamos vivamente.
Artigo está em inglês, mas à falta de melhor, o Google Translator trata de nos dar uma ideia do que está em jogo.


Sobre este assunto há que destacar ainda o guia Facebook para professores da responsabilidade da própria rede social, que pode ser descarregado no Centro de Segurança do Facebook.

Outros links recomendados:

 

 

O que os professores podem ou não pôr no Facebook

Por mais recorrente que o tema possa ser, a questão da privacidade no Facebook tem sido objecto de variadíssimos trabalhos, em sites, blogues, jornais, revistas e estudos. O bom senso (ou lá o que isso seja, dependendo do ponto de vista) leva-nos, naturalmente, a ter alguns cuidados na definição do que podemos ou não colocar à vista de todos, para todo o mundo. Quando nos colocamos no papel de professor, no entanto, a questão é, ou deve ser, ainda mais refletida e os cuidados a ter mais redobrados. O blogue EduDemic, uma referência nos blogues educacionais que povoam o web, tem vários artigos sobre este tema. Um dos pontos que achamos interessantes é uma síntese acerca do que pode um professor pôr ou não pôr no Facebook.
Com algumas adaptações aqui vão…

As 8 coisas que um professor nunca deve pôr no Facebook

  1. Não partilhe informação pessoal que não costuma mostrar na turma.
    (Por exemplo: fotos em que esteja a beber álcool, em fato de banho na piscina, fotos sensuais, ou de outra natureza mais adulta).
  2. Não discuta nada que não seja relacionado com educação.
    (Pode até parecer exagerado, mas não se esqueça.)
  3. Não deixe nunca o seu perfil aberto, sem restrições de privacidade.
    (Se o fizer, o seu perfil – dados, fotos, etc… – ficam públicos e podem ser encontrados na web através de uma qualquer pesquisa.)
  4. Não diga mal de ninguém.
    (São altas as probabilidade de essa pessoa vir a tomar conhecimento do que disse.)
  5. Não utilize uma foto de perfil não profissional.
    (A recomendação vai para ter um perfil profissional separado, se achar que consegue ligar com várias contas em simultâneo.)
  6. Não jogue Farmeville.
    (Quem diz o Farmeville diz outros jogos. Evite este tipo de aplicativos o mais possível.)
  7. Não converse com os alunos online fora das horas de trabalho.
    (Eles podem escrever-lhe, mas é melhor só falar com eles durante horas predefinidas, para manter alguma privacidade.)
  8. Não comente artigos ou posts dos alunos não relacionados com a escola ou com a matéria de estudo.
    (Reserve os seus comentários para o que é prioritário na sua relação profissional com eles. Não seja uma mosca zumbindo-lhes os ouvidos.)
Ok, ok, basta de tanto NÃO.

Então, o que é que um professor pode pôr no Facebook?

  1. Partilhar apresentações e apontamentos com os alunos.
    (ligações para o slideshare, etc. podem funcionar com o um arquivo de lições, que podem ser aproveitadas por outros estudantes.)
  2. Responder às questões dos seus alunos.
    (Não precisa de estar online permanentemente. Procure ir com regularidade ao perfil para verificar se tem alguma questão para responder.)
  3. Humanizar relação com os alunos. Falar com eles “olhos nos olhos”.
    (Não permita que eles se sintam envergonhados quando falam consigo.)
  4. Partilhar fotografias e coisas que os seus alunos tenham feito.
    (Uma pequena promoção do seu trabalho árduo nunca fez mal a ninguém.)
  5. Para encontrar outros professores, trocar ideias, boas práticas, circule.
    (Participe noutros grupos de interesse.)
  6. Partilhar o máximo de conteúdos educacionais que puder.
    (É recomendável ter uma conta separada de “professor” de forma a melhor poder defender a sua privacidade.)
  7. Junte-se a grupos educacionais e participe activamente.
    (Não apenas no Facebook, mas também no Linkedin e outras redes mais profissionais.)
  8. Usar o Facebook como uma ferramenta de ensino e não como uma forma para evitar o ensino presencial.
    (Não se torne “face-dependente“, nem se afaste dos seus alunos.)

Fontes:
EduDemic
Centro de Segurança do Facebook

Como se proteger na nova linha do tempo no Facebook

A nova linha do tempo do Facebook vai, muito brevemente, tornar-se obrigatória para todos os perfis. Uma mudança que muitos não desejam mas que, pela força das circunstâncias, pelos vistos não há volta a dar. Pensando nisso, a revista PC World publicou uma espécie de guia onde recomenda que passos cada utilizador deve dar em especial num ponto sensível: a privacidade.
As dicas ensinam a editar o perfil e a não mostrar mais do que gostaríamos.
A nova interface é basicamente um caderno que exibe as suas ações, das mais recentes até as mais antigas, remetendo às primeiras coisas que compartilhou pela rede social.
Isso significa que você e seus amigos poderão visualizar a história dos membros do site com poucos cliques. Antes, não havia forma fácil de resgatar atividades concretizadas há muito tempo na plataforma.
Se isso o deixa receoso quanto ao que aparecerá, saiba que é possível esconder o que achar que precisa ser omitido. Vale destacar, porém, que só temos sete dias para fazer as mudanças antes que a nova interface seja habilitada.
A rigor, há três maneiras de trazer os recursos para o seu Facebook:

  1. A partir desta página (página que ensina a migrar para a nova interface)
  2. Esperar que o site o avise de que tudo já está pronto;
  3. ou, se preferir, resistir até o final.

Saiba, porém, que em algum momento todos os utilizadores serão obrigados a migrar, portanto, por que não providenciar a mudança por conta própria?
A seguir, veja algumas dicas de como proceder, e evite possíveis transtornos. Sete dias são mais do que o suficiente para preparar o terreno antes que ele seja exibido a todos os seus amigos.

Esconda os seus posts
Se quiser se livrar de uma antiga atualização de status, foto ou link compartilhado, vá até o post e leve o rato ao canto superior direito. Clique no pequeno lápis e selecione “Esconder da Linha do Tempo”. No caso de atividade de aplicativos, embora as opções sejam um pouco diferentes, o processo é bastante parecido.
Se estiver difícil para encontrar uma ação específica, preste atenção nos links de navegação à direita, que lista o conteúdo por ano. Clique em um deles e provavelmente achará o que procura – também é possível selecionar o mês desejado.
Verifique o seu histórico
Se você quiser que uma ação permaneça visível, mas só para algumas pessoas, você pode alterar as configurações de privacidade, clicando em “Registo de Atividades”, abaixo de sua foto de exibição. Uma janela com todos os tipos de ações de seu perfil, organizadas por ano, aparecerá.
Algumas ações, como mensagens na mural de um amigo, podem ser também apagadas a partir desta janela. Atualizações de status ou links compartilhado podem, no máximo, ser restringidos. Clique na opção de atividade que queira alterar; você verá uma lista semelhante aos controles de privacidade do Facebook. Escolha se prefere deixar o post aberto apenas para amigos ou fechado para colegas do trabalho, por exemplo.
Destaque posts antigos
Se você tem um post antigo que gostaria de destacar, vá novamente até o canto superior direito da atualização. Em vez do pequeno lápis, clique na estrela desta vez, e a foto, por exemplo, será exibida na coluna principal da Linha do Tempo.
O Facebook automaticamente elege algumas atividades que considera mais importantes, como o começo de um trabalho ou o fim de universidade. Se você preferir deixa-los como uma ação convencional – escondida em meio a todas as outras – basta clicar na estrela que eles deixarão a posição de destaque.
Escolha uma foto de capa
No topo do perfil haverá uma foto grande, que será a primeira coisa que as pessoas verão quando visitarem sua página. Você terá de selecionar uma, sendo que, ao lado, uma imagem menor será exibida – a miniatura que aparece no chat. Pare um pouco e escolha a foto, lembrando-se, sempre, que ela será pública e todos da rede poderão vê-la.
Veja como os outros te veem
Por fim, depois de editar a Linha do Tempo, é melhor verificar como ela ficará aos olhos dos outros. Para fazer isso, vá até o ícone abaixo de sua foto de capa, selecione-o e clique em “Ver como”. Isso mostrará como o seu perfil é visto por pessoas que não são seus amigos ou para seus assinantes, se você os tiver.

Você pode, também, preencher a caixa de texto como o nome de algum amigo para saber como exatamente ele vê o seu perfil. Uma vez terminado, clique em “Voltar para a Linha do Tempo”.

Fontes:

10 aplicações Facebook para professores

Correndo o risco de ir atrás do prejuízo, se os alunos fazem do Facebook a sua placa de estacionamento obrigatório todos os dias, os professores não podem deixar de passar pelo mesmo espaço, aproveitando todas as suas potencialidades. Publicamos aqui um artigo com 10 aplicações para estudantes. Hoje, escolhemos 10 outras aplicações especialmente úteis para os professores. Confira.

1 – WebinariaScreencastRecorder: para compartilhar vídeos gravados com os alunos

2 – SlideShare: permite criar aplicações e enviá-las aos alunos.
Slideshare

3 – Calendar: Útil não só calendarizar as aulas, mas também para marcar outros pontos importantes da actividade, como testes, visitas de estudo, etc.

4 – Courses: Para gerir os cursos. A aplicação permite criar uma página de educador/instrutor e gerir tarefas.

5 – Webinaria Screencast Recorder: Gravar as aulas e disponibilizá-las no Facebook para os alunos

6 – Book Tag: Para criar listas de leitura de livros e criar questionários acerca dos mesmos.

7 – To do list: Aplicação com lembretes, para não se esquecer de nada.

Todolist

8 – JSTOR Search App: Boa maneira para encontrar artigos completos sobre as mais diferentes matérias.

50175 2412474777 7702 n

9 – WorldCat: Ajuda a pesquisar material disponível nas bibliotecas de todo o mundo.
Worldcat beta en

10 – LibGuides: Para aceder aos conteúdos da sua biblioteca.

Libguide

10 aplicações Facebook para estudantes

Apesar de haver alguns estudos a dizerem que os estudantes com perfil no Facebook têm menor aproveitamento do aqueles que não têm, a verdade é que, hoje, praticamente nenhum estudante passa sem perfil na maior e mais famosa rede social do mundo.
Daí que aproveitar o Facebook como ferramenta de aprendizagem é cada vez mais um destino comum para alunos, professores, encarregados de educação e todos os que têm algo a ver com o processo de ensino aprendizagem.
As 10 aplicações que se seguem estão especialmente destinadas aos estudantes para os ajudarem a organizar, trabalhar e partilhar com colegas e professores o seu estudo, utilizando o Facebook. Experimente.

1- Books iRead: aplicativo que permite partilhar os livros que se está a ler e ver o que os outros pensam deles.

2 – Flashcards: para criar cartões em flash que ajudam a estudar no Facebook.

 3 – Quiz planet Cria questionários para ti e para os teus colegas.

4 – Quiz Monster: Preparar exames através de questionários

5 – Supercool School: Rede social de aprendizagem onde os utilizadores participam em turmas interactivas em tempo real.

6 –  Just Vocabulary: Para melhorar o seu vocabulário Inglês.  “JustVocabulary”é um aplicativo online de áudio-show.

7 – The 10-minute SAT Test: O SAT (Scholastic Aptitude Test ou Scholastic Assessment Test) é um exame educacional padronizado nos Estados Unidos, que serve de critério para admissão nas universidades norte-americanas.

8 – CiteMe: Obter citações formatadas na maior rede mundial de conteúdo de biblioteca e serviços. Encontre o seu título nos resultados, selecione o seu formato favorito, e está feito.

9 – Language Exchange: Ligar-se a especialistas que ensinam mais de 70 línguas, com lições dadas através do perfil do Facebook.

10 – Learn 10: Ferramenta de aprendizagem de várias línguas.

10 passos para utilizar o Facebook como ferramenta de trabalho com os alunos

Por mais que queiramos ignorar, as redes sociais, em especial o Facebook, vieram para ficar. O tempo em que o café era o único ponto de encontro passou à história. O tempo em que o único centro de difusão do saber se cingia à sala de aula acabou. O tempo em que o saber estava nos livros é passado. O tempo em que o professor era dono único do conhecimento já era.
Não vale a pena estarmos a discutir se a sala de aula, na linha do modelo industrial em que todos fomos educados até agora, é útil ou não, se continua a ter utilidade ou não, se tem o futuro garantido ou antes pelo contrário, até porque essa é uma incógnita. Certeza, certeza é a de que, a bem ou mal, com efeitos mais ou menos adversos, todo o sistema de ensino-aprendizagem vai ter que percorrer os caminhos das redes sociais, já que é aí que as pessoas se encontram e onde mais facilmente podem interagir.
Não é caminho único mas é, com certeza, uma via paralela que não podemos ignorar, sob pena de sermos ultrapassados pelas circunstâncias, atropelados pelo comboio do progresso.
Então, de que forma podem os professores utilizar o Facebook para pôr a sua turma a mexer?
Entre outras possíveis, propomos 10 acções que julgamos essenciais, a saber:

1 – Crie o seu perfil profissional de professor e, a partir daí, crie um grupo restrito, privado. Convide para o grupo os seus alunos.
2 – Defina com clareza as regras de funcionamento do grupo. Não se esqueça de pedir a colaboração dos alunos na definição dessas regras, não deixando no entanto de salientar que a última palavra é do professor.
3 – Utilize o manual do grupo para colocar questões, sugerir leituras, consultas, …
4 – Defina prazos para a obtenção das respostas.
5 – Utilize o mural para os Trabalhos de Casa (TPC).
6 – Utilize o serviço de mensagens para obter e verificar os trabalhos realizados individualmente.
7 – Promova sessões síncronas para debate de projectos, utilizando o serviço de chat.
8 – Nunca deixe nenhuma pergunta sem resposta. Se não puder responder no momento, faça-o assim que tiver disponibilidade.
9 – Debata com os alunos na sala de aula o trabalho promovido na rede social,
10 – Como todas as coisas, a utilização do Facebook tem vantagens e desvantagens. Valorize o que o a rede social tem de melhor e minimize os seus pontos negativos. Não misture o trabalho o grupo de trabalho com as trivialidades naturais da rede.

Mais 20 coisas que nunca devemos postar no Facebook

Num post anterior, enumeramos 5 coisas que nunca deveríamos postar no Facebook. A saber:

1. Datas de nascimento
2. Relacionamentos
3. A sua localização atual
4. Se está sozinho em casa
5. Fotos dos filhos com nomes




Juntamos agora outros 15 pontos também essenciais:

6. Torne o seu perfil privado

Desta forma garante que só os seus amigos poderão ver as suas conversas e as suas imagens. A privacidade é um bem. Não a deite na rede.

7. Seja amigo só dos seus amigos

Podemos subdividir este item em 4 pontos:

Adicionar velhos amigos e depois esquecê-los

Todos sabemos que há pessoas que coleccionam amigos nas redes sociais. Há um conhecido que não vemos há anos. Ele adiciona-nos, nós aceitamos e, depois, ignoramo-lo. Ou então somos nós a tomar a iniciativa e, depois, é como se não existisse. Porque o aceitamos?Só para coleccionar?

Adicionar desconhecidos

Aqui entram os “coleccionadores”. É a mesma coisa que adicionar velhos conhecidos e não falar com eles. Se não conhece porque adiciona? Ou não sabe que sempre que adiciona alguém ao seu círculo de amigos esse alguém passa a ter conhecimento de tudo o que você faz na rede social?

Adicionar conhecidos de circunstância

Algumas pessoas não entendem que a troca de endereços de email no final de uma festa ou de um evento social é apenas um ritual e que tal não significa um convite para adicionar aos amigos no Facebook.

Aceitar convites de amigos de pessoas que não conhece

Costuma convidar para entrar em casa toda a gente que lhe bate à porta? No Face é igual. Seja criterioso.

8. Não partilhe tudo

Há uma falsa sensação de segurança e anonimato quando se diz algo a alguém sem ser cara a cara. Mas a realidade é que ao colocar alguma coisa no mural do Facebook estamos a compartilhar com todos. Se por acaso partilha algo que não diria a todas as pessoas que constam da sua lista, o mais provável é estar a dizer algo que não devia, a quem não devia.

9. Não discuta com os seus amigos mais chegados

Não revele as suas discussões coma família ou namorados. Coisas privadas devem permanecer privadas, mesmo na era do Facebook.

10. Partilhe apenas o que tem de melhor.

Escrever asneiras pode parecer engraçado em determinado momento. Mas não se esqueça. O seu futuro empregador pode querer ver o seu perfil no Facebook antes de o contratar. O que escreveu pode provocar o seu despedimento antes de ser contratado. Não é nada agradável ser um ex-futuro empregado.
Por isso, partilhe só que tem de melhor. O seu perfil é uma espécie de currículum vitæ e de portefólio. Não esqueça.

11. Não partilhe fotos comprometedoras

Partilhar fotos de uma bebedeira não é certamente a melhor forma de valorizar o seu perfil. Volte a ler o item anterior.

12. Não seja spammer

Não convide os amigos para juntar-se a todas as aplicações em que você entrar. E se joga jogos online, defina as configurações da sua conta para que os seus amigos não recebam as actualizações dos seus jogos. Além disso, pode parecer que você não faz outra coisa que não seja jogar ao Farmville.

13. Não diga o que está a fazer em cada momento

Avisou o seu chefe que nesse dia não vai trabalhar por estar, supostamente” doente. E, então, atualiza o perfil Facebook minuto a minuto, durante todo o dia, documentando um dia de gelados, cerveja, praia, jogos de vídeo e pular na cama. O mais provável é essa actualização chegar ao seu chefe. Será meio caminho para ser despedido. Com justa causa.

14. Escrever no mural em vez de comunicar em privado

A força motriz por trás do sucesso do Facebook é a … vaidade. As pessoas adoram a ideia de que os outros estão a observar o que eles estão a fazer. Se quer convidar alguém, faça-o privadamente. Nem toda a gente tem de conhecer a lista de convidados da sua festa.

15. Faça de conta que está a ser visto na Televisão

Acima de tudo, antes de postar qualquer coisa no Facebook, pare e pergunte a si mesmo: eu iria anunciar isto na televisão? Eu faria isso na televisão? Se a resposta for não, então não o coloque. O Facebook é público e não podemos ter de volta o que postamos.

16. Queixar-se

A coisa mais irritante que as pessoas fazem no Facebook é pulverizar o seu mural com queixumes, e auto-comiseração. Se tem algo a dizer a alguém, faça-o frontalmente, não no seu mural, porque ninguém está interessado nisso e só vão chamá-lo de idiota.

16. O seu endereço

A sua casa é o seu refúgio. Dê primazia à sua privacidade.

17. O plano de férias

Divulgar quando e para onde se vai nas férias, sejam elas longas ou curtas, é meio caminho andado para potenciais perigos. Segurança na casa, companhias indesejadas, falatórios inconvenientes. Os relatos de viagens fazem-se no fim e, mesmo assim, com parcimónia.

18. O número de telefone

Já bastam as páginas amarelas, brancas, azuis etc. e tal, e as operadoras que divulgam os nossos números privados.

19. Fotos de familiares e amigos sem autorização

Podemos achar graça às fotos da nossa juventude, na escola ou em família. Se não estamos sozinhos, manda a boa educação que perguntemos primeiro às outras pessoas que estão nas imagens se autorizam. A foto até pode ser nossa, mas o retrato é pessoal, privado e devia ser inviolável. Respeite, se quer ser respeitado.

20. Não seja face-dependente

 O telefone e os correios continuam válidos no mundo global. Se gosta de zelar pela sua privacidade não deixe de os utilizar.

50 aplicações online e sites a ter em conta

O mundo das aplicações é, realisticamente, infinito. Por mais que pensemos que já vimos tudo, há sempre novas e velhas aplicações, umas que nos passaram ao lado, outras a que não demos a devida importância e ainda outras que vão aparecendo constantemente.
A lista que se segue é só mais uma lista de onde poderemos tirar boas ideias para aplicarmos conforme as nossas necessidades.

Blogues

  1. Blogger – Para blogues, grátis..
  2. Movable Type – software pago, precisa de um servidor.
  3. TypePad – software pago, precisa de um servidor.
  4. WordPress.com – Para blogues, grátis.
  5. WordPress.org – software gratuito, precisa de um servidor.
  6. Tumblr– Para blogues, grátis.

    Microblogues

  7. BrightKite – telemóveis (celulares), localização..
  8. FriendFeed –  agregador.
  9. Identi.ca – código aberto.
  10. Jaiku – telemóveis (celulares).
  11. Posterous – microblogue e envio para outros sites.
  12. Pownce – microblogue e partilha de ficheiros.
  13. Plurk – microblogue e conversas banais.
  14. Seesmic – video microblogue.
  15. Twitter – microblogue e telemóveis (celulares).
  16. Utterz– microblogue e telemóveis (celulares) e  video.

    Partilha de marcadores (bookmarking)

  17. Delicious – bookmarking.
  18. Diigo– bookmarking.
  19. Sphinn – bookmarking/votações.
  20. StumbleUpon– bookmarking e navegação.

    Sites com notícias de carácter social

  21. Digg – notícias.
  22. Mixx – notícias.
  23. Reddit– notícias.

    Redes Sociais

  24. Facebook – geral.
  25. Flickr – partilha de fotos e video.
  26. Last.fm – partilha de música.
  27. LibraryThing – livraria.
  28. LinkedIn – rede social e profissional.
  29. MySpace – geral.
  30. Ning – rede social aberta.
  31. Pandora – partilha de música.
  32. Yelp– classificação de restaurantes e negócios.

    Úteis e diversas

  33. Twitter Search (antigo Summize) – pesquisa o que interessa.
  34. Picnik – edição gratuita de fotos online. Bom para criar avatars.
  35. Evernote – Ambiente de trabalho online e sincronização de dados guardados.
  36. Upcoming.org – site de partilha de Eventos. (bom para encontrar boas conferências).
  37. Netvibes – página inicial da web.
  38. Twingly – pesquisa de blogues.
  39. Compete – análise de sites.
  40. AideRSS – classificador de posts dos bloguesrates your blog posts.
  41. Skitch– captura de ecrã (mac).

    Plataformas de Video

  42. Blip.tv – alojamento de video, partilha.
  43. Google Video – alojamento de video, partilha.
  44. Viddler – alojamento de video, partilha.
  45. Vimeo – alojamento de video, partilha.
  46. YouTube – alojamento de video, partilha.
  47. Mogulus – alojamento de video, partilha.
  48. uStream.tv – alojamento de video, partilha.
  49. BlogTV – alojamento de video, partilha.
  50. ooVoo – chat com video direto.

Guia Facebook para pais e educadores

O SegurançaNet, do Ministério da Educação, disponibilizou um “Guia de Facebook para pais e educadores“. Trata-se de um folheto, que pode ser visto e descarregado no centro de recursos do sítio. Nesse documento, que aqui reproduzimos no essencial, são reunidos alguns conselhos acerca de melhor forma de utilizar o Facebook, em especial pelas crianças e jovens.

Regras essenciais para utilização do Facebook e outras redes sociais semelhantes:

PENSE ANTES DE PUBLICAR

É um risco partilhar dados que o localizem, como a morada de casa ou do trabalho!

NÃO ACEITE QUALQUER PEDIDO DE AMIZADE

Sempre que receber um pedido de amizade, veja a pagina dessa pessoa. Leia o mural, veja as fotografias e procure os comentários deixados por outros utilizadores.
Se não for possível ver a página, envie mensagem. Em caso de dúvida, não aceite o convite!

SEJA AMIGO DO SEU FILHO

Sabe quem são os amigos online do seu filho? Adicione-o como amigo no Facebook: se ele tiver algum problema, estará sempre presente para ajudar! Se ele quiser conhecer pessoalmente um amigo virtual, acompanhe-o!

DENUNCIE E BLOQUEIE

Alguém escreveu um comentário negativo? Denuncie o comentário e bloqueie a pessoa que o escreveu, em vez de responder na mesma moeda!

PUBLIQUE EM SEGURANÇA

Nem tudo o que coloca na Net é seguro! As fotografias, quando colocadas online, não desaparecem! Mesmo que as apague, outros utilizadores poderão tê-las gravado. Não se comprometa!

Conselhos para os pais:

Crie uma palavra-chave segura:
  • combine letras, números e símbolos!
  • Não utilize o nome, número de identificação ou outros dados fáceis de serem descobertos!
Utilize as definições de privacidade:
  • Utilize a opção “Apenas amigos” e só quem fizer parte da sua lista de amigos poderá ver os seus dados!
  • Crie listas de amigos e torne certos elementos visíveis apenas para essas listas!
  • Se utilizar aplicações – edite as definições de privacidade para evitar Spam e selecione apenas as aplicações que pretende!
  • Edite as suas fotos, para poder definir quem pode vê-las ou não!

SABIA QUE …

  • 13 anos e a idade mínima de registo no Facebook?
  • Menores de idade não aparecem nos resultados de pesquisa no Facebook?
  • Há casas verificados de dependência do Facebook?
  • Deve ser usado com moderação!

PORQUE É QUE OS SEUS FILHOS UTILIZAM O FACEBOOK?

  • Para socializar com os amigos, maioritariamente da escola;
  • Para receber notícias dos amigos, familiares e também de conhecidos;
  • Para os trabalhos escolares;
  • Para formar e explorar a identidade através da auto expressão;
  • Para aprendizagem informal;
  • Para aprender as técnicas da era digital;
  • Para descobrir e explorar interesses;
  • Para saber o que se passa no mundo, além do seu raio de ação;
  • Para participar em causas às quais são sensíveis.

CONSELHOS

  • Esteja também no Facebook: é uma boa forma de conhecer melhor os riscos!
  • Diga ao seu filho para nunca partilhar a palavra-chave com ninguém!
  • Diga ao seu filho que pode desabafar consigo se, por acaso, ele se sentir pouco à-vontade com alguma situação.
  • Para mais conselhos visite a página seguranet.pt

[wp-like-locker][/wp-like-locker]