Divulgar os trabalhos, trabalhando em casa

Há muitos professores talentosos que, no seu dia a dia, produzem materiais de qualidade que, de uma forma ou de outra, depois de utilizado algumas, acabam esquecidos. Com a internet é relativamente fácil divulgá-los. Há muitas plataformas onde os professores se podem inscrevem e “depositar os seus trabalhos de uma forma graciosa. No entanto, o que hoje aqui propomos é algo diferente. Trata-se de uma plataforma onde é possível ganhar dinheiro com o trabalho que produzimos. Vale bem a pena dar uma vista de olhos e testar o sistema. A “Go Freelance” é uma comunidade on-line para profissionais autónomos e empresas que procuram contratar peritos independentes especializados nas mais diversas áreas, onde se incluem, entre outros, professores, escritores, editores …

Dimdim, trabalho colaborativo

Para trabalhar em tempo real, há já várias soluções interessantes. No entanto, como em tudo, há umas que são mais do que outras. Está neste caso a plataforma DIMDIM que, para além de um vasto de conjunto de serviços de subscrição, fornece, de forma gratuita, serviço de conferência web onde os utilizadores  podem partilhar a sua secretária, mostrar slides, colaborar, conversar em tempo real, e utilizar a webcam. Para aqueles que precisam de trabalhar em grupo,  esta ferramenta mostra-se uma excelente opção, simplificadora do trabalho colaborativo, com destaque para a sua facilidade de utilização.

Planos de aula online

Sem necessidade de software para instalar, é possível, de uma forma prática e eficaz, criar, editar e armazenar os planos de aula on-line! Acesse aos seus planos de aula e horário de aulas a partir de qualquer computador ligado à Internet. Através do “Lesson Planner” a programação e planificação das aulas torna-se muito mais fácil.

Zoho – Trabalho colaborativo

Entre as ferramentas de trabalho colaborativo online, destaca-se a ZOHO Office. Não só porque permite fazer tudo o que as outras fazem, mas por ser também mais completa e dispor de um conjunto alargado de aplicações que cada um pode utilizar conforme as suas necessidades.
Não se trata só e apenas de escrever, calcular e fazer apresentações, mas também de gerir projectos, planificar…
Comece pela mais fácil, a Zoho Writer. Vale a pena experimentar.
Zoho writer é um processador de texto por excelência, com muitas funcionalidades, mais completo que o processador do Google Docs.
Com esta ferramenta é possível:
— Partilhar e Colaborar facilmente os seus documentos online, com amigos numa base individual e em grupo, em tempo real.
— Suporte Fora de Linha (offline) Acede e edita os documentos existentes, mesmo sem uma ligação à Internet. O documento em offline será sincronizado quando estiver online. Isto é, pode sincronizar os trabalhos do Zoho com o Microsoft Word, bastanto para tal descarregar uma pequena aplicação e, quando estiver online, faz a sincronização.
— Pode compartilhar documentos com o mundo inteiro, publicando directamente os seus documentos no blog.
— Importa / Exporta Documentos. Carrega documentos do seu portátil, Google Docs ou em qualquer lugar na Web. Transfira e guarde-os também no seu computador.
— Possui uma biblioteca de documentos modelo, para os mais variados efeitos.

Reblog this post [with Zemanta]

Google Docs (2)

Uma das vantagens mais significativas da utilização de uma ferramenta como o Google Docs é a possibilidade de trabalhar, seja em que lugar for, sem ter que andar de um lado para outro com qualquer aparelho. Por exemplo na criação de uma grelha de avaliação de um teste. Primeiro, acede à folha de cálculo e introduz todos os elementos necessários. Os nomes dos alunos, os itens de avaliação, as cotações, tal e qual como se estivesse a trabalhar como Excel, ou outra folha de cálculo. Aliás, é possível importar uma folha de cálculo já feita em Excel ou Open Office para a plataforma Google Docs. A partir do momento em que esses dados estão na plataforma, pode acedê-los a partir de qualquer computador com acesso à internet.
Se optar por criar uma nova folha de cálculo surgirá a aplicação de folha de cálculo. O botão “Ficheiro” apresenta diversas opções, entre elas, a criação de uma nova folha de Processador de texto do Google Docs cálculo, a abertura de uma folha de cálculo, a impressão da folha de cálculo e as definições da folha de cálculo. O botão “Editar” disponibiliza uma barra de ferramentas com um conjunto de opções relacionadas com a edição da folha de cálculo. O botão “Ordenar” apresenta um conjunto de opções de ordenação. O botão “Fórmula” permite inserir fórmulas. O botão “Revisões” apresenta o número de vezes que o utilizador editou a folha de cálculo, permitindo a comparação de edições. O botão “Debater” permite estabelecer uma conversação acerca da folha de cálculo. O botão “Partilha” permite partilhar a folha de cálculo. O botão “Publicar” permite publicar a folha de cálculo. O botão “Guardar” guarda o ficheiro e o botão “Guardar e Fechar” guarda o ficheiro e encerra a aplicação de folha de
cálculo. Existe ainda a possibilidade de imprimir a folha de cálculo e de acrescentar novas folhas.
Há vários manuais disponíveis na internet. Sugerimos este. (Clique aqui)

Adaptado de “Manual de Ferramentas da Web 2.0 para Professores”

Google Docs

Diga Adeus à pen drive, ao CD, aos discos e a toda a parafernália de aparelhos utilizados para transportar os seus documentos de um lado para outro. O Google Docs veio para ficar e já há alguns outros instrumentos que lhe seguem as pisadas, quiçá mais desenvolvidos até.
O seu aspecto simples do Google Docs torna muito fácil a navegação e a utilização das diversas funcionalidades. Para aceder a esta ferramenta o utilizador necessita
apenas de possuir uma conta no Gmail.
O Google Docs lê os formatos de ficheiros mais conhecidos como o DOC, XLS, ODT, ODS, RTF, CSV e PPT, permitindo guardar os ficheiros nos formatos DOC,
XLS, CSV, ODS, ODT, PDF, RTF e HTML (Google, 2008a).
Através da página principal podemos criar um novo documento, folha de cálculo ou apresentação (compatível com o famoso Power Point). O utilizador pode, no entanto, optar por abrir um ficheiro já criado através da opção “Carregar”. Nesta página também é feita a
gestão dos ficheiros, que podem ser guardados em pastas.
Os ficheiros podem ser partilhados neste espaço através da opção “Partilhar”. O utilizador deverá indicar com quem quer partilhar o ficheiro, quais as permissões
dadas e se quer ou não enviar-lhes convite.
Se o utilizador optar por criar um novo documento surgirá o processador de texto. No topo são apresentados vários botões. O botão “Ficheiro” apresenta diversas opções, entre elas, a criação de um novo documento, a abertura de um documento existente, a eliminação do documento, a impressão do documento e os formatos de exportação do documento. O botão “Editar” disponibiliza uma barra de ferramentas com um conjunto de opções relacionadas com a edição do documento. O botão “Inserir” permite inserir imagens, hiperligações, comentários, tabelas, marcadores, separadores, caracteres especiais, cabeçalho e rodapé. O botão “Revisões” apresenta o número de vezes que o utilizador editou o documento, permitindo a comparação de edições. O botão “Partilha” permite partilhar o documento e o botão “Publicar” permite publicar o documento. Existe ainda a possibilidade de pré-visualizar, imprimir, enviar por correio electrónico e editar o documento em formato HTML.

Adaptado de “Manual de Ferramentas da Web 2.0 para Professores”

web2.0 (3)

Algumas das ferramentas mais interessantes da chamada web2.0 são as redes sociais. Muita gente já possui um perfil em alguma das mais famosas redes.

Assim, destacamos:
Aplicações dedicadas à criação e à dinamização de redes sociais (social networking) – Blogger, WordPress, Blog Sapo, Hi5, Facebook, Windowslive, Messenger;

  1. Ferramentas de escrita colaborativa – Blogs, Wikis, Podcast, Google Docs, Zoho, MINDOMO (processamento de texto, apresentações e folhas de cálculo);
  2. Instrumentos de comunicação online – Skype, Messenger, Voipbuster, Google Talk;
  3. Repositórios de partilha de vídeos (YouTube, Yahoo Videos), de músicas (LimeWare) e de ficheiros – Folder Share, Adrive, Techmagazine,
  4. Aplicações sociais de Bookmarking, como o Del.icio.us;
  5. Espaços de trabalho colaborativoCreatly, Boxnet, Webtools4u2use;
  6. Áreas dedicadas à criação de páginas de Internet (WebNode, Jimdo, Google Sites).

(Adaptação de documento da autoria de Evandro Morgado)