Cuidados a ter na elaboração de um portefólio

Organizar um portefólio sem o tornar um objecto desprezível, pesado, ilegível e, mais do que tudo, intragável não é difícil, mas, com a mania que temos de encher dossiers com tudo o que apanhamos à mão, não raras vezes os portefólios só se distinguem pelo volume. Ora, o que interessa num portefólio não é o volume mas a qualidade do trabalho desenvolvido.

Organizar um portefólio é assim uma tarefa que, sem ser difícil, deve ser pensada, diremos mesmo cuidadosamente pensada.

Para os professores o portefólio é um conjunto de materiais e recursos produzidos pelo docente, em quantidade limitada e bem organizada, representativa da sua acção no trabalho,

  • — em aula;
  • — do seu estatuto profissional
  • — do seu conhecimento científico
  • — da sua competência pedagógica;
  • — do conhecimento dos conteúdos pelos quais é responsável;
  • — dos seus projectos e outros atributos pessoais e profissionais que o valorizam como profisisonal e como pessoa;
  • — e como espaço de reflexão e autoavaliação.

Colocados perante estes princípios, genéricos, o que é que transforma toda a panóplia de artefactos que um professor produz durante um ou mais anos lectivos num portefólio?

  • Reflexão (para conhecer, actuar, mudar, melhorar);
  • Interiorização (o portefólio leva uma pessoa dentro);
  • Continuidade (construído e reconstruído com o tempo);
  • Partilha (colegas, alunos, outros).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *