Software livre e educação

O software livre fornece valores muito interessantes tanto do ponto de vista da educação, como de nível técnico, económico e ético-cívico. A sua importância baseia-se em quatro liberdades essenciais aos utilizadores:

  1. A liberdade para executar o programa, para qualquer propósito .
  2. A liberdade de estudar como o programa funciona, e adaptá-lo a suas necessidades. Acesso ao código-fonte é um pré-requisito para esta liberdade.
  3. A liberdade de redistribuir cópias de modo que você possa ajudar ao seu próximo.
  4. A liberdade de aperfeiçoar o programa, e libertar os seus aperfeiçoamentos, de modo a que toda a comunidade beneficie. Acesso ao código-fonte é um pré-requisito para esta liberdade.

Acesso ao código-fonte é um pré-requisito para isso, enquanto o software de proprietário o proíbe expressamente, assim como qualquer tentativa de engenharia que tente reescrever o código que se encontre compilado nas suas aplicações.
Isto tem várias implicações. Por um lado, o custo de acesso ao software é muito pequeno, de modo que para qualquer escola é uma economia grande com licenças de software e, por outro, permite fornecer cópias do software aos alunos e suas famílias, continuando a usá-lo nos seus computadores, sem violar nenhuma lei, o que tem saudáveis implicações de cariz económico.


O software livre encripta os seus arquivos usando formatos abertos, o que aumenta a compatibilidade entre aplicações diferentes, sejam livres ou de acesso reservado, e entre sistemas operativos, uma vez que permite que os programadores de todo o mundo posam utilizar estes formatos nos seus projetos.
Qualquer pessoa pode ver o código fonte das aplicações, o que se para o comum dos mortais não é crucial, para professores e estudantes de programação é fundamental, já que podem estudar e compreender como os aplicativos estão a ser utilizados por milhões de pessoas, modificando-os elaborando novas soluções, melhorando-os.
Um dos aspectos interessantes é que não é preciso ser um programador para ajudar a melhorar as aplicações. As comunidades de programadores que trabalham em projetos de código aberto estão abertos a sugestões de utilizadores. Existem grupos de apoio online que compartilham informações e ajudam a resolver o problemas encontrados pelos utilizadores.

A utilização de software livre incentiva o espírito de boa vontade e ajuda, sobrepondo o bem da comunidade ao benefício económico, ensina que partilhar software e ideias beneficia quem recebe mas também que dá. Além do mais, ao permitir o estudo do código das aplicações permite a sua utilização em computadores mais baratos e acessíveis a muito mais pessoas que, de outra maneira, seriam info-exluídas.

Sítio web da Free Software Foundation

Transformar texto em áudio

NaturalReader é um programa que permite transformar um texto em áudio. O programa é muito fácil de usar, aceita os textos escritos, no formato word, em páginas da Web, em arquivos PDF e em email, fazendo com que o ato de ler possa facilmente transformar-se numa escuta.

Com este software, é facil converter os textos escritos e salvá-los em formatos MP3 ou WAV para um leitos de CD, MP3, MP4 ou iPod.
É comum achar que esse tipo de software é útil somente para pessoas com deficiência, mas o NaturalReader pode ajudar qualquer um em termos de conforto. Se não tem problemas de visão, não sabe a dificuldade que pessoas cegas ou com visão reduzida enfrentam quando se sentam à frente de um computador. Felizmente a acessibilidade tornou-se um tema cada vez mais importante para o desenvolvimento de sistemas e programas como o NaturalReader.
A leitura de textos é a única funcionalidade disponível na versão Free Version do NaturalReader. As versões pagas oferecem funções extras, como a alteração da voz do locutor, barras integradas para o Word e Internet Explorer e a possibilidade de converter o texto em arquivo MP3.
O programa está especialmente indicado para ultrapassar os problemas de dislexia, falta de visão e atenção deficiente e aprendizagem de segunda língua.
Apesar das limitações do NaturalReader Free Version, as vantagens do programa são inegáveis. É uma pena que não tenha versão para a língua portuguesa, (do Brasil ou de Portugal), mas, se corrermos um texto a ler em espanhol (se optarmos pelo espanhol das Américas a leitura é mais interessante), a coisa compreende-se bem. Com um pouco de esforço e boa vontade, dá para entender tudo o que o NaturalReader lê.
No site do programa é possível testar e verificar a validade do programa.

iBooks Author – manuais escolares no iPAD

A Apple acaba de lançar o iBooks Author, uma aplicação gratuita para Mac desenvolvida para permitir que autores e editoras criem de forma fácil livros eletrónicos (e-books) ricos em multimedia para o agora atualizado aplicativo iBooks 2, da própria empresa, para aparelhos iOS, que é o mesmo que dizer o iPAD.

Apesar de os livros digitais didáticos terem sido o foco do evento educacional que teve çlugar em Nova Iorque no passado dia 19, o vice-presidente sénior de marketing, Phil Schiller, notou que o iBooks Author pode ser usado para criar outras ofertas com uso intensivo de média, como livros de culinária e guias turísticos, para o iPad.

O novo aplicativo da Apple em si é um editor WYSIWYG com uma interface de utilisador parecida com a linha de produtos iWork, da Apple, que inclui Pages, Keynote e Numbers. O texto pode ser transferido diretamente do Pages ou Microsoft Word para o editor, permitindo também a utilização de estilos do documento para criar automaticamente seções, cabeçalho e layout.

As apresentações do Keynote também podem ser automaticamente inseridas em livros de texto, dando ao documento final mais interatividade do que uma publicação tradicional. As imagens podem ser arrastadas para o texto.

O IBooks Author usa guias de alinhamento em tempo real para fluir o texto ao redor da imagem, de modo que fique colocado no local correto. Um recurso de widget oferece aos utilizadores a capacidade de criar galerias de imagem que também podem ser arrastadas para o livro, e então facilmente redimensionadas. O aplicativo pode se conectar com bases de dados da Internet para apresentar informações numéricas sem cortar e colar.

Outro recurso do iBooks Author é um novo gerador de glossário. Se um autor clica numa palavra no texto, ela aparece numa nova lista de glossário; os utilizadores clicam “Adicionar Termo” (“Add Term”) para criar definições e adicionar imagens.

O iBooks Author também oferece um modo preview: se o iPad está conectado a um Mac, o aplicativo cria o livro em tempo real e envia-o para ser visualizado no tablet.

O iBooks Author já está disponível na Mac App Store e exige o Mac OS X 10.7.2 ou versão mais recente.

Ver o filme de apresentação:

[vsw id=”pr076C_ty_M” source=”youtube” width=”560″ height=”315″ autoplay=”no”]

 

Para fazer o download do iBooks Author, clique aqui.

Pacote de software para Educação da Adobe

A Adobe lançou recentemente um pacote especial de software, especialmente destinado a alunos mais jovens e educadores, intitulado Adobe Digital School Collection (ADSC). Disponível para os ambientes MAC e Windows, o pacote inclui os programas Adobe Photoshop Elements 10, Adobe Premiere Elements 10 e Adobe Acrobat Pro X.

As versões “Elements” são mais fáceis de usar do que as versões profissionais. Têm menos recursos do que as versões Pro, mas a maioria dos recursos que faltam raramente são usadas por públicos mais jovens e menos experientes na sua manipulação.
A nova versão do Acrobat pode incluir áudio e vídeo nos arquivos PDF, facilitando a construção de portefólios no formato PDF. Do mesmo modo, pode ser utilizado na criação de sites.

Adobe education

Com este software, os alunos podem criar projetos e apresentações que combinam fotos, filmes com efeitos e documentos multimedia, tal como e-portefólios ricos em elementos multimedia.

Centro de Recursos

Do mesmo modo, a Adobe disponibiliza recursos para os professores utilizarem com os seus alunos. O seu centro de recursos (Adobe Education Exchange) fornece um vasto conjunto de matérias de interesses para professores e educadores, tais como planos de aula, currículos, guias de tecnologia, tutoriais, e exercícios de vária ordem. Não apenas para os três programas disponibilizados no pacote educação mas também para outros recursos como o Illustrator.
A comunidade de associados, na sua grande maioria professores, aproxima-se dos 40 mil, continuando a crescer.

5 programas gratuitos da Microsoft

Nem tudo o que a Microsoft tem é pago a peso de ouro. O gigante da informática disponibiliza gratuitamente uma série de ferramentas que poderão ser úteis, em particular aos professores. Aqui vai uma lista de cinco que poderão ser úteis em vários domínios.

1 — Learning Content Development System

O Learning Content Development System (LCDS) é uma plataforma que permite ao utilizador inventar cursos online. Para uma boa ideia, a plataforma permite criar lições e desenvolver tarefas, não apenas para o ensino presencial mas também para o ensino à distância (e-learning).

2 — Truespace

O Truespace é um programa que fornece todas as ferramentas necessárias para a criação de modelos em 3D. Uma boa opção, se tivermos em conta que este programa já esteve no mercado à venda por cerca de 400 euros.

3 — World Wide Telescope

O World Wide Telescope é um projeto da Microsoft que mostra imagens fantásticas do espaço captadas através de telescópios, como o Hubble. A tecnologia cria um telescópio virtual que permite ver com detalhes planetas e constelações.

4 — Microsoft Baseline Security Analyzer

Microsoft Baseline Security Analyzer (MBSA) é uma ferramenta pronta a usar projetada para os profissionais de tecnologias de informação que ajuda as pequenas e médias empresas e instituições, como escolas, a determinar o seu estado de segurança de acordo com as recomendações de segurança da Microsoft, aconselhando as medidas a tomar.

5 — Insomnia

O Insomnia é um aplicativo simples, chamado SetThreadExecutionState que tem como função desativar o modo dormir durante o tempo que ele está a correr. (Note que o ecran ainda pode desligar-se durante este tempo -. É apenas o sono para o computador que está bloqueado). Fechar a janela Insomnia imediatamente restaura qualquer modo de suspensão que estava em vigor antes de ser executado. Não poderia ser mais fácil.!
Esta aplicação deve ser usada quando o computador está ocupado a fazer algo de relevante, por exemplo, quando está a carregar um ficheiro muito grande, a re-codificar uma colecção de música, ou a fazer backup do disco rígido, tarefas por vezes demoradas que não necessitam da nossa presença mas que, no modo normal, tendo activadas as funções de poupança de energia, desligariam o computador e não permitiriam a execução das funções pedidas.

3 sites imperdíveis para professores de línguas e não só

Já aqui falamos em vários sites para aprendizagem de línguas. Hoje, propomos 3 sites especialmente vocacionados para os professores utilizarem como ferramenta de promoção de aprendizagem de línguas. Sítios imperdíveis que, de uma forma simples, promovem o desenvolvimento de várias competências linguísticas.

1. LINGT

Lingt logo
Com o Lingt o professor pode criar páginas de tarefas online incorporando áudio, vídeo, texto e imagens. Os alunos, depois de responderem individualmente, enviam o resultado ao professor para avaliação. O programa permite criar tarefas em que alunos podem praticar compreensão de áudio e também treinar a pronúncia gravando sua própria voz.

Ver tutorial:

http://www.youtube.com/watch?v=y4nJcsamTlM&feature=player_embedded

Como utilizar com os alunos:
  • Criar tarefas para a prática de compreensão de áudio, pronúncia e escrita.
  • Criar avaliações orais que podem ser feitas em casa pelo aluno.
  • Incorporar áudio e vídeo às suas tarefas.
  • Treinar os alunos para exames internacionais dando auxílio individual.
  • Treinar diálogos com os alunos em que o professor grava as perguntas para que o aluno grave as respostas.
  • Criar ditados em que o professor grava um texto e o aluno deve escrevê-lo.
  • Criar tarefas em que o alunos após assistir a um vídeo, deve responder por escrito a perguntas de compreensão.
  • Após assistir a um vídeo, o aluno pode gravar a sua opinião utilizando a língua-alvo.

2. VOICETHREAD

Voicethread
Versatilidade é a palavra de ordem para a plataforma Voicethread. O site permite a criação de apresentações utilizando imagens próprias, vídeos e textos, permitindo a interação através de comentários escritos ou gravados com microfone ou webcam. O site é ideal para a criação de projetos conjuntos (com outros grupos e escolas) já que os alunos podem gravar os seus comentários a partir de qualquer computador que tenha acesso à internet.

Como utilizar com os alunos:
  • Peça aos alunos para selecionarem fotos que tenham significado para eles e gravar comentários sobre cada uma. Ao pedir para que os alunos criem os textos antecipadamente, pode-se trabalhar a escrita com mais acuidade com a ajuda e correção do professor. Na sala de aula, em pares, podem treinar a leitura do texto, trabalhando a pronúncia, ritmo e clareza antes de gravarem os textos.
  • Alunos com máquina fotográfica, podem tirar fotos das suas casas, bairros, amigos, familiares e descrevê-los.
  • Usar duas fotos numa apresentação e pedir para que os alunos digam, gravando, qual a ligação entre elas.
  • O professor pode usar a apresentação com alunos do ensino básico para que eles gravem um texto respondendo a perguntas pessoais trabalhadas em sala de aula. Na aula seguinte, o professor pode usar as gravações para exercício de compreensão de áudio.
  • Adicionar à apresentação fotos de pessoas dialogando e pedir que os alunos criem diálogos para os personagens. (trabalho em pares)
  • Pedir aos alunos que criem um tour virtual de algum lugar escolhido com imagens, vídeos e fala.
  • Utilizar alguma foto polémica ou marcante e pedir para que os alunos gravem as suas opiniões sobre os eventos.
  • Pedir aos alunos que criem histórias digitais a partir de desenhos feitos e digitalizados por eles.
  • Utilizar imagens de jornais atuais e pedir que as comentem. Ou mesmo que aos alunos criem apresentações com uma notícia onde eles mesmo podem narrar o acontecido.

3. FOTOBABBLE

Fotobabel logo no tagline
Com o Fotobabble é possível adicionar uma narração a uma foto ou imagem à escolha. Em primeiro lugar, adicionamos uma uma foto ou imagem nossa ao site para então gravar uma narração utilizando o microfone.
Após a gravação, pode-se compartilhar seu fotobabble ou publicando-o através do código de incorporação (embed code).

Ver exemplo:

Como utilizar com os alunos:
  • Ditado falado: escolher uma imagem pertinente ao texto que irá gravar e compartilhar com os seus alunos através de e-mail ou class blog. Os alunos devem ouvir e transcrever o texto que deverá ser entregue ao professor na aula seguinte.
  • Pedir aos alunos que criem mensagens para enviar para os pais por e-mail. Ex: dia da mãe, dia do pai, etc.
  • Pedir aos alunos que gravem textos sobre variados tópicos:
    — o meu melhor amigo: foto e descrição do amigo
    — o meu quarto / o meu quarto dos sonhos: alunos gravam a descrição.
    — preparação de exames…
    — o meu animal de estimação: foto e gravação.
    — a minha família
    — o meu filme favorito.
  • Utilizar as gravações para exercícios de compreensão de áudio ou para avaliação da pronúncia de seus alunos.
Fontes:
http://lingtlanguage.com/
http://voicethread.com/
http://www.fotobabble.com/
http://lifefeast.blogspot.com/
http://www.blogtalks2008.blogspot.com/

Como proteger os filhos contra as ameaças sociais no Facebook

Proteger os filhos contra as ameaças sociais no Facebook é, a cada dia que passa, uma das principais preocupações de pais, encarregados de educação e outros educadores. A pensar no problema, a Check Point ® Software Technologies Ltd , líder mundial em segurança na Internet, anunciou um novo produto destinado segurança nas redes sociais, denominado ZoneAlarm ® SocialGuard. O novo software foi projetado para os pais que querem proteger os seus filhos contra as ameaças sociais no Facebook, como os predadores online, intimidadores, cortado contas e ligações maliciosas. O SocialGuard permite aos pais monitorizar as contas Facebook dos seus filhos prevenindo-os contra conteúdo ilícito, atualizações de status, lançamentos de mensagens no mural, mensagens e pedidos de amizade, dando-lhes, em tempo real, alertas quando a atividade suspeita é detetada. O ZoneAlarm SocialGuard já está disponível e pode ser comprado no site da ZoneAlarm:

“Temos visto exemplos, do mundo real, as consequências das ameaças sociais, incluindo o cyberbullying. De facto, muitas pesquisas indicam que uma em cada cinco crianças de hoje tem sido vítima de ameaças sociais online “, disse Bari Abdul, vice-presidente de vendas da Check Point. ” Com o SocialGuard, estamos a oferecer aos utilizadores do Facebook uma maneira simples de abraçar as redes sociais de forma segura. Para os pais, é sobre como proteger os seus filhos das ameaças sociais lá fora, respeitando a sua privacidade e promovendo a comunicação aberta.”

O ZoneAlarm SocialGuard permite aos pais monitorizar todas as atividades na conta Facebook do filho onde quer que eles a utilizem, incluindo PCs, Macs, iPads e outros dispositivos móveis. Com o mapeamento do perfil de comunicação, pedidos de amizade dentro da conta monitorizada e usando algoritmos único para identificar ameaças, o SocialGuard vai enviar alertas em tempo real aos pais por e-mail ou através da interface SocialGuard quando uma atividade suspeita é detetada. O programa é executado silenciosamente em segundo plano, apenas alertando os pais para os perigos específicos com base nas suas configurações de segurança personalizados, palavras-chave ou categorias pré-definidas. O ZoneAlarm SocialGuard permite aos pais de proteger os seus filhos contra as ameaças sociais, respeitando a privacidade de seu filho, já que não podem ver ou comentar os posts no mural ou juntar-se às suas conversas.

As principais ameaças

SocialGuard pode monitorizar as contas Facebook das crianças para uma variedade de ameaças sociais, incluindo:

Cyberbullying – Identifica ou conteúdo impróprio ou ameaças enviados para uma conta no Facebook através de mensagens privadas, atualizações de status e mensagens no mural – alertando os pais quando a criança pode ser exposta a conteúdos ilícitos, tais como violência, sexo, drogas e suicídio.

Idade Falsa – Deteta relatórios falsos de idades através de pesquisa avançada e digitalização, garantindo que as crianças não são assediadas por adultos fora de suas redes ou aparecendo como crianças ou adolescentes.

Solicitações de Amizade – Calcula o grau de separação social, identificando e alertando os pais para estranhos fora da rede da criança.

Conta roubada – Acompanha de perto os sinais de que a conta da criança não foi invadida por estranhos, sinalizando atualizações de status não autorizadas, alterações no perfil suspeitos ou outros conteúdos explícitos na conta do utilizador.

Ligações Seguras – Deteta mensagens ofensivas ou ligações perigosas enviados em mensagens privadas, atualizações de status e mensagens no mural de forma a evitar ataques de malwares e o acesso a conteúdos inadequados.

Ver o video de apresentação

7 alternativas gratuitas ao Microsoft Office

7 alternativas gratuitas ao Microsoft Office. De uma forma ou de outra já todos nos aborrecemos um pouco, ou pelo menos uma vez por outra, com os efeitos perversos do Word da Microsoft. Para além de ser pago, o problema do Office da Microsoft é que, um pouco na linha de todos os programas que se vão refinando, cada vez é “mais pesado” complicado, incluindo automatizações que nos aborrecem, dificultando tarefas simples, etc.
Já aqui fizemos algumas sugestões para esquecer o Office da Microsoft e trabalhar online. No entanto, é sempre conveniente não andar desprevenido e ter disponível no nosso computador uma “suite” (conjunto de programas interligados) que nos permita trabalhar em qualquer lugar, a qualquer hora, independentemente de podermos ou não estarmos ligados à internet.
Sugerimos por isso sete suites ou programas, uns mais leves do que outros, que fazem a mesma coisa que o Microsoft Office, com a vantagem de, além de serem gratuitos, são, regra geral mais leves, correm mais depressa e não ocupam tanto espaço de memória e de disco.

1 – OpenOffice.org (Windows, Mac OS X, Linux, Solaris)

 

OpenOffice scrn
O OpenOffice.org é provavelmente a mais famosa e conhecida “suite” de escritório gratuita. Não é apenas um processador de texto, mas também software de apresentação (semelhante ao Microsoft Powerpoint ), folha de cálculo (semelhante ao Microsoft Excel ), base de dados (como o Microsoft Access), software de desenho , editor web , editor de fórmulas, etc Pode lidar com os vários formatos Word da Microsoft: o formato RTF, o seu próprio formato compactado, etc O software está disponível em diversas plataformas, incluindo Windows, Linux , Mac OS X e Solaris. Também permite exportar o arquivo no formato PDF.

2 – IBM Lotus Symphony (Windows, Mac OS X, Linux)

 

Lotus scrn
IBM Lotus Symphony é uma suíte de escritório gratuita, tendo como base uma versão anterior do OpenOffice.org. Inclui um processador de texto (Lotus Symphony Documents), software de apresentação (Lotus Symphony Presentations) e folha de cálculo (Lotus Symphony Spreadsheet). Suporta vários formatos de arquivo, incluindo o Open Document Format (ODF), formato de arquivo do Microsoft (por exemplo, Doc, Ppt, Xls, Dot, etc), formatos do Lotus, etc. O software funciona em Windows XP, Windows Vista, Mac OS X e Linux.

3 – LibreOffice (Windows, Mac OS X, Linux)

 

Libreofiice scrn
LibreOffice é um spin-off (ou, na linguagem do computador, um “fork”) do pacote de escritório OpenOffice.org fruto da iniciativa de alguns dos colaboradores desse projeto. Como tal, inclui os mesmos componentes como o OpenOffice, ou seja, um processador de texto, folha de cálculo, software de apresentação, ferramentas de desenho, de banco de dados, etc.

4 – Bean: (Mac OS X)

Bean scrnBean é uma suite de fonte aberta e gratuita para computadores Macintosh. Suporta contagem de palavras ao vivo, estatísticas detalhadas sobre o documento, backups, um controlo deslizante de zoom para alterar a escala de exibição, modo de layout de página, auto-salvamento, cores alternativas (para quem não gosta do aparência padrão de palavras em preto sobre fundo branco), pesquisa e suporta expressões regulares , dicionário, a palavra de conclusão, etc. De raiz, escreve nos formatos rtf,. RTFD (rich text with graphics). bean. txt, html. e. webarchive (formato de arquivo Apple). Também pode importar e exportar para os formatos Word (Doc. Docx e Xml) e OpenDocument (Odt), bem como exportar documentos no formato PDF.

5 – OxygenOffice Professional (Windows, Linux)

 

OxygenOffice scrnOxygenOffice Professional é basicamente uma versão reembalada do OpenOffice.org, contendo outros modelos, clipart, fontes, exemplos e até mesmo suporte VBA. O conjunto inclui um processador de texto, software de apresentação, folha de cálculo, banco de dados, software de desenho, editor web , editor de equações , etc.
Acompanha de perto as novidades e iniciativas lançadas pelo OpenOffice.org.

6 – Abi Word (Windows, Linux, FreeBSD, etc)

 

Abiword scrnAbi Word é um processador de textos gratuito que suporta documentos Microsoft Word, OpenOffice, WordPerfect, RTF-Rich Text Format, páginas HTML. Corre nas plataformas Windows, Linux, FreeBSD, e QNX.

7 – Jarte Processador de Texto (Windows)

 

Jarte scrnA versão gratuita do processador de texto Jarte é compatível com os documentos Microsoft Word 95, 97, 2000 e formato RTF e texto simples (ASCII). Foi projetado para ser um superconjunto do Windows Wordpad (que vem gratuitamente com o Windows). Funciona apenas no Windows.

Vale sempre a pena experimentar alguma das 7 alternativas gratuitas ao Microsoft Office.

2 maneiras de fugir à ditadura do Microsoft Word – grátis

Se há coisa que não falta aos diversos sistemas operativos é processadores de texto. Claro que quando o termo “Processador de Texto” vem à baila, associamos logo a coisa a “Word”, “Microsoft Word”, documentos “.doc”, etc. O problema é quando queremos uma coisa simples que nos concentre na escrita, nos livre das distrações, não nos dando sugestões parvas, formatações que não pedimos, atrapalhando o nosso processo criativo, fazendo-nos perder tempo.
Desde o aparecimento dos computadores que os processadores de texto, em especial o Word da Microsoft, ganharam competências cada vez mais elaboradas, o que, se por um lado, nos vem ajudar em muitas tarefas, muitas vezes só complicam. Por isso, é bom ter sempre à mão algo que seja simples, funcional, que nos remeta para o essencial.
Sugerimos por isso, hoje, dois processadores de texto alternativos, do mais simples que há, com versões para Windows e Macintosh. Dois programas que têm como função única e primordial fazer com que nos concentremos no processo criativo da escrita, eliminando todo o ruído que possa haver à volta. Uma opção deste género permite-nos organizar o trabalho assumindo tarefas distintas: à escrita o que é da escrita, à apresentação o que é da apresentação.

Writeroom (MAC) Dar­kRoom (PC)-

O WriteRoom, para computadores Macintosh, é um processador de textos que faz lembrar os computadores da década de oitenta, quando os editores de texto consistiam num ecrã preto, com letras a verde e com praticamente nenhuns recursos de formatação. O WriteRoom pode ter o fundo de ecrã e as letras da cor que quisermos e guarda os textos em formato txt.
O DarkRoom é o clone para windows do WriteRoom. Funciona da mesma maneira, com as mesmas ferramentas e os mesmos propósitos.
Quando se executa o programa, a área de trabalho do computador é ocupado por uma mancha preta, no meio do qual se vê o cursor verde a piscar, pronto a escrever. Para quem não gostar desta combinação de cores, a imaginação é o limite. Basta ir às preferências do programa e escolher as cores. O caminho mais fácil é clicar na tecla ESC, que dá acesso ao menu de configurações.
Simples, clássico, despido de preconceitos, o WriteRoom é bastante eficiente e estável. Apesar das limitações, é um editor de textos bom no que faz. Para que se concentre na escrita.

OmmWriter – (MAC & PC) –

 

Continuar a ler “2 maneiras de fugir à ditadura do Microsoft Word – grátis”

Microsoft Office adopta nova ortografia

A versão portuguesa do Microsoft Office 2010 já chegou às lojas com dicionário para novo acordo ortográfico incluído.
A empresa anunciou a integração de novos corretores para o Acordo Ortográfico disponíveis para os utilizadores do Office 2010 e Office 2007. Os pacotes de aplicações de produtividade incluem o processador de texto Word e a folha de cálculo Excel, entre outras aplicações.
A integração dos novos corretores ortográficos resulta do trabalho desenvolvido nos últimos meses por linguistas nacionais do Instituto de Linguística Teórica e Computacional (ILTEC) e membros do MLDC, o Centro de Investigação e desenvolvimento da Microsoft em Portugal, revela a empresa em comunicado.
De acordo com o comunicado, “A novidade adicional do Office em Português é o facto de incluir, de raiz, o dicionário com a versão do português pré e pós acordo ortográfico, apresentando ao utilizador ambas as formas de redacção para sua escolha e conferindo ainda a possibilidade de este optar pela utilização única de apenas uma das versões”.
O conjunto de corretores ortográficos é disponibilizado de forma gratuita através de atualizações disponíveis no site da Microsoft em: http://www.microsoft.pt/acordoortografico .