Dicionário de pronúncia inglesa

A edição dos vídos do Youtube através do Embedplus, assunto a que nos referimos num artigo anterior, constitui uma resposta eficaz na seleção do material que queremos mostrar aos alunos, destacando o que nos interessa, eliminando o dispensável, salientando o mais relevante. Ora, o Embedplus disponibiliza uma ferramenta extraordinária para os professores de inglês. Um dicionário. Não um dicionário qualquer, mas um recurso de vídeo que não só ensina a pronunciar corretamente as palavras na língua mais falada no mundo, mas também no contexto da sua utilização. Em resumo trata-se de um dicionário de pronúncia.

A ideia, seguindo alguns estudos científicos, é de que a pronúncia de uma determinada palavra não está apenas relacionada como seu contexto semântico, mas que, também, acarreta um conjunto de expressões faciais, mais ou menos identificáveis. Desta forma, ao mostrar diferentes pessoas, em contextos diferentes, a pronunciar uma determinada palavra, o aprendente pode mais facilmente adquirir a pronúncia desejada.
Quando se pede na ferramenta de pesquisa do site a pronúncia de uma determinada palavra, o site pesquisa videos no Youtube em que essa palavra foi pronunciada, fornecendo-nos uma lista, onde podemos ouvir e contextualizar.
O projecto, para já, disponibiliza palavras em língua inglesa, dos Estados Unidos, mas os seus autores prometem alargar o âmbito a outros “accents”.

O projecto é validado pela Universidade de Princeton, através do seu programa Worldnet, uma base de dados lexical da língua inglesa.

Ora analise o video que mostra a pronúncia da palavra “SALMON

[embedplusvideo height=”315″ width=”560″ standard=”http://www.youtube.com/v/z33dcvKPzI8?fs=1″ vars=”ytid=z33dcvKPzI8&width=560&height=315&start=&stop=&hd=0&react=1&chapters=&notes=” id=”ep7080″ /]

Pressione Play para ver e ouvir o uso da palavra ‘salmon’. Use o botão de replay/loop para rever a pronúncia quantas vezes for preciso.

EmbedPlus – Editar e anotar os vídeos do YouTube

Os professores recorrem com frequência ao YouTube na procura de material vídeo para mostrar aos seus alunos. Algumas vezes, no entanto, a existência de comentários desagradáveis e vídeos relacionados menos próprios, por vezes com conteúdo pouco recomendável, evitam a utilização de alguns filmes. Ora, com o “EmbedPlus” esse problema é eliminado, já que podemos mostrar apenas os conteúdos que nos interessam.

 

 

O que podemos fazer com o EmbedPlus

  • Selecionar as cenas que queremos mostrar, disponibilizando apenas o que interessa no objectivo da matéria;
  • Adicionar títulos e legendas;
  • Fazer câmara lenta;
  • Fazer zoom móvel para aplicar em partes do vídeo;
  • Definir facilmente a altura e a largura de qualquer vídeo do Youtube;.
  • Não é necessário registo. Basta clicar em “Get Started”;
  • O EmbedPlus dispõe de um aplicativo de dicionário para a pronúncia da palavra e contexto do vocabulário, ferramenta especialmente útil na aprendizagem da língua inglesa como segunda língua.

Schoology – A escola online

Na senda das plataformas online de aprendizagem, o Schoology oferece tudo o que é preciso para criar uma comunidade de estudo e aprendizagem, na linha do Moodle ou do Blackboard.
Indo de encontro às tendências atuais, o Schoology utiliza um design parecido com o Facebook. a sua interface intuitiva permite a criação de ocnteúdos didaticos, atividades e atribição de notas.
Assumindo-se como umsitema alternativo, o Schoology permite a importação de dados de pacotes de conteúdos de outros sistemas (Moodle, Blackboard, Google Docs, KhanAcademy e Examview.
Gratuito, pelo menos para já, a inscrição pode ser feita a nível individual, ou por instituição, uma inscrição gratuita por cada instituição.
Sem necessidade de instalação de qualquer software, esta plataforma responde aos problemas que,nomeadamente o Moddle dá na sua manutenção e atualização.

Siga o Link do Schoology

 

 

2 editores de fotografia gratuitos online

Com o fim anunciado do Picnick, o serviço de edição de imagens da Google, estão a emergir novos serviços, ou a reaparecer outros algo escondidos, que funcionam como boas alternativas para tratamento de imagem online. Além do mais, gratuitos, o que, nos tempos que correm, corresponde sempre a mais uma vantagem significativa.
Já aqui publicamos um artigo sugerindo cinco serviços, um dos quais era exatamente o Picnick. Sugerimos agora outros, gratuitos, de muito boa qualidade: O iPiccy e o Picozu, qual deles o melhor. Experimente.

[wptabs style=”wpui-light” mode=”horizontal”]

[wptabtitle] iPiccy[/wptabtitle] [wptabcontent]

iPiccy – online, gratuito, sem registo

O iPiccy é um editor completo de fotos online. Gratuito, tem a vantagem de ser muito parecido com o Picnik, o que facilita a transição dos anteriores utilizadores do serviço da Google.

O iPiccy não requer registo para começar a usar os seus serviços como editor de fotos online. Podemos fazer o upload de uma imagem diretamente do computador, ou a partir de uma url do Facebook.
A imagem é exibida então na secretária. Podemos então navegar entre as quatro abas no topo do ecrã: Editor, efeitos, retoques, texto, pintura. Cada um dos seus guias é acompanhado por uma lista de efeitos disponíveis presentes num menu do lado esquerdo da imagem.
Os efeitos oferecidos podem aplicar-se rapidamente, dependendo, é claro, do tamanho da sua imagem original. Depois de terminar o trabalho, a imagem pode compartilhada de várias formas, nomeadamente através do Facebook ou por email, já que o iPiccy oferece uma URL única de partilha.

[/wptabcontent]

[wptabtitle] Picozu[/wptabtitle] [wptabcontent]

Picozu – edição de imagens online gratuito e poderoso.

Picozu é uma ferramenta para edição de imagens online que pode criar novas imagens ou melhorar e retocar imagens existentes. O programa oferece várias ferramentas, nomeadamente de cor, saturação, contraste. Também se pode adicionar texto imagens, quadros, trabalho de fundo. Esta ferramenta de edição de imagem também oferece uma longa série de efeitos mais ou menos artísticos, que podemos utilizar de forma divertida com apenas um clique.

De acordo com os seus criadores, o Picozu não fica nada a dever aos gigantes profissionais do tratamento de imagem, como o Photoshop, já que o seu manuseamento é fácil, a ferramenta é poderosa e rápida, mesmo para imagens de grande formato.
No Picozu também é possível trabalhar as imagens online sem ser necessário qualquer registo. Basta carregar a imagem, trabalhá-la a gosto e depois guardá-la ou partilhá-la directamente, seja no Facebook ou na Dropbox.

[/wptabcontent]

[/wptabs]

10 ferramentas gratuitas para ensinar e estudar online

A Internet oferece uma riqueza de recursos para professores, tutores e alunos que vai muito para além da aprendizagem em sala. Seja na preparação de uma palestra, na explicação de uma matéria específica a alguns alunos em dificuldades, seja na ajuda a um colega mais atrasado, estas ferramentas possibilitam uma grande interação que ultrapassa dos limites da sala de aula. Entre as ferramentas recomendadas, colocamos em primeiro lugar uma de génese brasileira, e como tal em língua portuguesa, com opções para inglês e espanhol, e que vai em primeiro lugar.

Há cerca de um ano publicamos um artigo com 8 plataformas para ensinar e estudar online. Hoje falamos de outro tipo de ferramentas, mais simples, onde a interatividade é o foco principal..

1 – Com8s

O Com8s é uma ferramenta completa que, aproxima professores e alunos, facilita e organiza as tarefas e amplia a rede de relacionamento. O ensinar e o aprender ficou mais interessante, criativo e produtivo com o Com8s. Gratuita e em Português, esta ferramenta foi criada pela FZCOM, uma empresa de desenvolvimento de soluções inovadoras disponibilizadas via web.

[vsw id=”rS_m-BWBVCU” source=”youtube” width=”560″ height=”315″ autoplay=”no”]

2 – Skype com Idroo

Idroo é um quadro educacional online usado em combinação com o Skype. Pode ser usado em simultâneo por vários utilizadores. Toda a escrita e desenho é visível pelos participantes em tempo real. Software disponível para ambientes windows.

3 – Gchat – Google talk

Qualquer pessoa com uma conta do gmail pode acessar ao Goggle Talk. Professores, tutores e alunos podem falar uns com os outros em tempo real, bem como enviar e receber arquivos instantaneamente.

4 – Scribblar

Scribblar é outro quadro educacional em tempo real, aberto à participação simultânea de vários utilizadores, ideal para turotira online. Permite a troca de ficheiros.

[vsw id=”11281701″ source=”vimeo” width=”550″ height=”410″ autoplay=”no”]

5 – Google Docs

Inevitavelmente, teremos que incluir o Google Docs como uma ferramenta ideal para trabalhos online já que permite a criação de documentos, sejam eles de texto, apresentações, folhas de cálculo, desenhos, assim como exercícios, tabelas, formulários, etc…. Professores e alunos podem ver os trabalhos uns aos outros, editar documentos em tempo real e conversar.

6 – Wikispaces

Estudantes e professores podem utilizar Wikispaces para publicar e partilhar texto, arquivos, imagens, e muito mais através de suas páginas ilimitadas. As configurações de privacidade permitem que decidir quem pode ter acesso aos conteúdos.

7 – Wallwisher

Nenhum registo é necessário para aceder ao Wallwisher, onde se pode construir quadros de avisos online. Ideal para professores, uma vez que é perfeito para fazer anúncios, tais como trabalhos de casa e as datas dos testes, o site também funciona bem para os estudantes que querem manter o controlo de tarefas e projetos. Wallwisher funciona como uma placa de aviso real onde podemos colocar os avisos e reorganizá-los a gosto. Também permite que você publique imagens e vídeos.

8 – Jing

Este software pode salvar os professores e tutores de repetir a mesma lição várias vezes. E mais. Use o Jing para fazer um vídeo da aula e depois partilhá-lo com os seus alunos para eles poderem rever as matérias no sossego de casa. Este programa também regista toda a atividade do ecrã, assinalando tudo o que aconytece.

9 – Animoto

Outra ferramenta para a criação de vídeos educativos, Animoto oferece aos professores e tutores a possibilidade de criar apresentações com texto, clips de música, vídeos e imagens. Os Vídeos concluídos são fáceis de compartilhar por email, blog site, YouTube, ou pode ser baixado para uso em sala de aula.

10 – 4Teachers

4Teachers oferece aos Professores e tutores um vasto conjunto de ferramentas educativas. O seu site fornece recursos para a criação de questionários e materiais personalizados.

285 livros sobre Internet, redes sociais, comunicação, tics, educação e cultura digital

O portal espanhol Humano Digital – que reúne notícias relacionadas a tecnologia, arte, literatura, educação e internet- compilou links de 285 títulos de livros digitais em português (131), inglês (72) e espanhol (75) para ler online ou fazer download. Uma ajuda preciosa que reúne num único lugar um conjunto de obras interessantes sobre temática digital.
As obras abortam temas relacionados à comunicação e cultura digital como ciberjornalismo, literatura digital, redes sociais, marketing digital, cibercultura, web 2.0, SEO, Marketing entre outros.

Retificação:

O trabalho original foi realizado pelo jornalista e blogueiro Cleyton Carlos Torres, editor do blogue “BlogMídia8” que, numa chamada de atenção nos comentários, pediu a correção do artigo, o que agradecemos. Refira-se a propósito que a lista já cresceu para 388 livros (consulta realizada no dia 25 de Janeiro) e que pode ser vista no seguinte endereço: http://www.blogmidia8.com/p/biblioteca-virtual.html

Lista dos livros em língua portuguesa

  1. Como escrever para a web (Guillermo Franco)
  2. O que é o virtual? (Pierre Lévy)
  3. Jornalismo 2.0: como viver e prosperar (Mark Briggs)
  4. Web 2.0: erros e acertos (Paulo Siqueira)
  5. Para entender a internet (org. Juliano Spyer)
  6. Redes sociais na internet (Raquel Recuero)
  7. Televisão e realidade (Itania Gomes)
  8. Autor e autoria no cinema e televisão (José Francisco Serafim)
  9. Comunicação e mobilidade (André Lemos)
  10. Comunicação e gênero: a aventura da pesquisa (Ana Carolina Escosteguy)
  11. Conceitos de comunicação política (org. João Carlos Correia)
  12. O paradigma mediológico: Debray depois de McLuhan (José A. Domingues)
  13. Informação e persuasão na web (org. Paulo Serra e João Canavilhas)
  14. Teoria e crítica do discurso noticioso (João Carlos Correia)
  15. Redefinindo os gêneros jornalísticos (Lia Seixas)
  16. Novos jornalistas: para entender o jornalismo hoje (org. Gilmar R. da Silva)
  17. O marketing depois de amanhã (Ricardo Cavallini)
  18. Branding: um manual para você gerenciar e criar marcas (José R. Martins)
  19. Grandes Marcas Grandes Negócios (José R. Martins)
  20. Relações Públicas digitais (org. Marcello Chamusca e Márcia Carvalhal)
  21. Ferramentas digitais para jornalistas (Sandra Crucianelli)
  22. Blogs.com: estudos sobre blogs (org. Raquel Recuero, Adriana Amaral e Sandra Montardo)
  23. Mobilize: guia prático sobre marcas e o universo mobile (Ricardo Cavallini)
  24. Mídias sociais: perspectivas, tendências e reflexões (e-books coletivo)
  25. Manuais de cinema I: laboratório de Guionismo (Luís Nogueira)
  26. Manuais de cinema II: gêneros cinematográficos (Luís Nogueira)
  27. Manuais de cinema III: planificação e montagem (Luís Nogueira)
  28. Manuais de cinema IV: os cineastas e a sua arte (Luís Nogueira)
  29. Homo consumptor: dimensões teóricas da publicidade (Eduardo Camilo)
  30. Retória e mediação II: da escrita à internet (orgs. Ivone Ferreira e María Cervantes)
  31. O conceito de comunicação na obra de Bateson (Maria Centeno)
  32. Comunicação e estranheza (Suzana Morais)
  33. Néon digital: um discurso sobre os ciberespaços (Herlander Elias)
  34. Manual da teoria da comunicação (Joaquim Paulo Serra)
  35. Estética do digital: cinema e tecnologia (orgs. Manuela Penafria e Mara Martins)
  36. Jornalismo digital e terceira geração (org. Suzana Barbosa)
  37. Comunicação e ética (Anabela Gradim)
  38. Blogs e a fragmentação do espaço público (Catarina Rodrigues)
  39. Sociedade e comunicação: estudos sobre jornalismo e identidades (João Correia)
  40. Teorias da comunicação (orgs. José Manual Santos e João Correia)
  41. Comunicação e poder (org. João Correia)
  42. Comunicação e política (org. João Correia)
  43. Manual de jornalismo (Anabela Gradim)
  44. A informação como utopia (Joaquim Paulo Serra)
  45. Jornalismo e espaço público (João Correia)
  46. Semiótica: a lógica da comunicação (Antônio Fidalgo)
  47. Informação e sentido: o estatuto espistemológico da informação (Joaquim Serra)
  48. Informação e comunicação online I: jornalismo online (org. Joaquim Serra)
  49. Informação e comunicação online II: internet e com. promocional (org. Joaquim Serra)
  50. Campos da comunicação (orgs. Antônio Fidalgo e Paulo Serra)
  51. Jornalistas da web: os primeiros 10 anos (Jornalistas da web)
  52. Onipresente (Ricardo Cavallini)
  53. O uso corporativo da web 2.0 e seus efeitos com o consumidor (André Santiago)
  54. Caderno de viagem: comunicação, lugares e tecnologia (André Lemos)
  55. Desenvolvimento de uma fonte tipográfica para jornais (Fernando Caro)
  56. Perspectivas do Direito da propriedade intelectual (Helena Braga e Milton Barcellos)
  57. E o rádio? Novos horizontes midiáticos (Luiz Ferraretto e Luciano Klockner)
  58. Manual de redação do jornalismo online (Eduardo de Carvalho Viana)
  59. Jornalismo internacional em redes (Cadernos da Comunicação)
  60. Cartilha de redação web: padrões Brasil e-Gov (Governo Federal)
  61. A cibercultura e seu espelho (orgs. Eugênio Trivinho e Edilson Cazeloto)
  62. Direitos do homem, imprensa e poder (Isabel Morgado)
  63. Conceito e história do jornalismo brasileiro na ‘Revista de Comunicação’
  64. Tendências e prospectivas. Os ‘novos’ jornais (OberCom)
  65. O livro depois do livro (Giselle Beiguelman)
  66. A internet em Portugal (OberCom)
  67. Memórias da comunicação (orgs. Cláudia Moura e Maria Berenice Machado)
  68. Comunicação multimídia (org. Maria Jospe Baldessar)
  69. Cultura digital.br(orgs. Rodrigo Savazoni e Sérgio Cohn)
  70. História da mídia sonora (orgs. Nair Prata e Luciano Klockner)
  71. História das relações públicas (Cláudia moura)
  72. Manual de laboratório de jornalismo na internet (Marcos Palacios e Beatriz Ribas)
  73. O ensino do jornalismo em redes de alta velocidade (Marcos Palacios e Elias Machado)
  74. Retórica e mediação: da escrita à internet (orgs. Ivone Ferreira e Paulo Serra)
  75. Design/Web/Design: 2 (Luli Radfaher)
  76. A arte de despediçar energia (Ricardo Cavalline)
  77. A blogosfera policial no Brasil (orgs. Silvia Ramos e Anabela Paiva)
  78. Direitos humanos na mídia comunitária (UNESCO)
  79. Do broadcast ao socialcast (Manoel Fernandes)
  80. Manual de assessoria de comunicação (FENAJ)
  81. Manual de sobrevivência online (Leoni)
  82. Olhares da rede (orgs. Claudia Castelo Branco e Luciano Matsuzaki)
  83. A democracia impressa (Heber Ricardo da Silva)
  84. Design e ergonomia (Luis Carlos Paschoarelli)
  85. Design e planejamento (Marizilda do Santos Menezes)
  86. História e comunicação na nova ordem internacional (Maximiliano Martin Vicente)
  87. O percurso dos gêneros do discurso publicitário (Ana Lúcia Furquim)
  88. Representações, jornalismo e a esfera pública democrática (Murilo Soares)
  89. Princípios Inconstantes (Itaú Cultural, com coordenação de Claudiney Ferreira)
  90. Mapeamento do ensino de jornalismo cultural no Brasil em 2008 (Itaú Cultural)
  91. Mapeamento do ensino de jornalismo digital no Brasil em 2010 (coord. Alex Primo)
  92. Dinheiro na internet: como tudo funciona (Katiero Porto)
  93. Como criar um blog: de desconhecido a problogger (Paulo Faustino)
  94. Futuros imaginários: das máquinas pensantes à aldeia global (Richard Barbrook)
  95. Além das redes de colaboração (orgs. Nelson De Luca Pretto e Sérgio Silveira)
  96. Guia prático de marketing na internet para pequenas empresas (Cláudio Torres)
  97. Políticas, padrões e preocupações de jornais e revistas brasileiros (UNESCO)
  98. Teoria e pesquisa no contexto dos indicadores de desenv. da mídia (UNESCO)
  99. Qualidade jornalística: ensaio para uma matriz de indicadores (UNESCO)
  100. Sistema de gestão da qualidade aplicada ao jornalismo (UNESCO)
  101. Manual de sobrevivência no mundo digital (Leoni)
  102. Branding 1001: o guia básico para a gestão de marcas de produtos (Ricardo e Fernando Jucá)
  103. Marca corporativa: um universo em expansão (Levi Carneiro)
  104. Marketing 1 to 1 (Peppers&RogersGroup)
  105. Tudo o que você precisa aprender sobre o Twitter (Talk)
  106. Cultura livre (Lawrence Lessing)
  107. As marcas na agenda dos CEOs (Troiano Consultoria)
  108. Guia da reputação online (António Dias)
  109. I Pró-Pesq – Encontro nacional de pesquisadores em PP (USP)
  110. O ABCD do planejamento estratégico (Lowe)
  111. Suprassumo Mídia Boom (Mídia Boom)
  112. Vida para consumo (Zygmunt Bauman)
  113. As redes sociais na era da comunicação interativa (Giovanna Figueiredo)
  114. Escola de redes (Augusto de Franco)
  115. Blog: jornalismo independente (Fernanda Magalhães)
  116. Vidro e vidraça: crítica de mídia e qualidade no jornalismo (org. Rogério Christofoletti)
  117. Smart digital. Conteúdo social (Bruno de Souza)
  118. Jornalismo e convergência (orgs. Claudia Quadros, Kati Caetano e Álvaro Larangeira)
  119. Perspectivas da pesquisa em com. digital (orgs. Adriana Amaral, Maria Aquino e Sandra Montardo)
  120. Open source: evolução e tendências (Cezar Taurion)
  121. Redes sociais e inovação digital (org. Gil Giardelli)
  122. Radiojornalismo hipermidiático (Debora Lopez)
  123. Em busca de um novo cinema português (Michelle Sales)
  124. O paradigma do documentário (Manuela Penafria)
  125. Cidadania digital (orgs. Isabel Salema e António Rosas)
  126. Análise de discurso crítica da publicidade (Viviane Ramalho)
  127. Ensaios de comunicação estratégica (Eduardo Camilo)
  128. Para entender as mídias sociais (org. Ana Brambilla)
  129. Comunicação e marketing digitais (orgs. Marcello Chamusca e Márcia Carvalhal)
  130. Mídias sociais e eleições 2010 (orgs. Ruan Carlos e Nina Santos)
  131. 11 Insights (Grupo Troiano)

 

Títulos em Inglês

01. The new rules os viral marketing(David Meerman Scott)

02. Podcast marketing ebook (Christopher Penn)
03. Social web analytics (Social Web Analytics)
04. Masters of marketing (Starup Internet Marketing)
05. Get viral get visitors (Stacie MAhoe)
07. The zen of blogging (Hunter Nutall)
08. A primer in social media (Smash Lab)
09. SEO for WordPress blogs (Blizzard Internet)
11. The word of mouth manual – vol. II (Dave Balter)
13. Social media: your organisation and web 2.0 (Trevor Cook e Lee Hopkins)
16. What matters now (Seth Godin)
18. Science and the media (Donald Kennedy e Overholser Ginebra)
19. New media makers (Jan Schaffer´s)
20. Social media marketing GPS (Toby Bloomber)
21. Four hour sleep week (HotBlogTips)
23. From stats to strats (Bonsai Interactive Marketing)
24. Fishing where te fish are (Chris Brogan)
26. The art of community (Jono Bacon)
29. Taking your talent to the web (Jeffrey Zeldman)
31. Designing for the web (Mark Boulton)
32. Design your imagination (WebGuru India)
34. Web style guide (WebStyleGuide)
35. Pure design (Mário Garcia)
36. Strategy of giving (Miika Leinonen)
37. The future of ideas (Lawrence Lessing)
40. The future of repuation (Daniel J. Solove)
41. The wealth of networks (Yochai Benkler)
43. Master of marketing (Michael Enlow)
44. How to write a marketing plan (Peter Geisheker)
45. What is social media? (Antony Mayfield)
46. Effective internet presence (Ted Demopoulo)
48. We have a website. Now what? (Craig Rentmeester)
49. Free culture (Lawrence Lessing)
50. The challenges of the digital era (Observatorio de la ilustración gráfica)
53. The simple web (Skellie
55. Blogging on my mind (Nabil Khan)
57. The definitive Twitter resource guide (Stephen e Alicia Pierce)
59. The word of mouth manual II (Dave Balter)
60. Social media: your organization and web 2.0 (Trevor Cook & Lee Hopkins)
61. Mobile tools reviewed (rjionline.org)
63. Facebok pages guide (allfacebook.com)
65. Social media in the arab world (Jeffrey Ghannam)
69. Online journalism: research methods (eds. Marcos Palacios and Javier Noci)
72. Hacking the BBC (Backstage)

Títulos em Espanhol

01. Comunicación multicultural em Iberoamérica (José Marques de Melo)

02. Marketing e comunicación (José Sixto García)

08. Inteligencia colectiva (Pierre Lévy)
10. Geekonomía (Hugo Pardo)
12. La revolución de la prensa digital (Cuadernos de Comunicación Evoca)
13. Dictadura del diseño (Carlos Carpintero)
14. Quiénes son los YouTubers? (Estudio de usuarios)
15. Comunidades online 2009 (Miguel Cornejo)
16. El modelo de la nueva agencia (diversos autores)
17. Web 2.0 (Antonio Fumero)
18. Más allá de Google (Jorge Juan Fernández)
20. Crónicas argentinas (Juan Pablo Menezes)
21. Nosotros, el medio (Chris Willis e Shayne Bowman)
22. Cómo escribir para la web (Guillermo Franco)
23. Claves del nuevo marketing 2.0 (diversos autores)
24. Lan gran guía de los blogs (Francisco Polo)
25. Periodismo 2.0 (Mark Briggs)
27. Glosario básico de internet (Rafael Fernández Calvo)
28. Branding corporativo (Paul Capriotti Peri)
29. Los desafíos del periodismo (Media Matters)
30. 100 BM digital tips (Burson-Marsteller)
32. La sociedad de control (Jose Alcántara)
33. Publicidad 2.0(Paúl Been)
34. Software libre (Jordi Hernàndez)
35. Movilidad en la Pyme (José Colvée)
36. Planeta web 2.0 (Cristobal Cobo e Hugo Pardo)
39. El nuevo manifesto de la web 2.0 (Toni Martín-Avila e Jaime Lòpez-Chicheri)
44. La evolución de internet (Fundação Telefónica)
46. El proyecto Facebook y la posuniversidad (Fundação Telefónica)
47. El español en la red (Fundação Telefónica)
48. La genereción interactiva en España (Fundação Telefónica)
50. Los retos de la era digital (Observatorio de la ilustración gráfica)
51. El código 2.0 (Lawrence Lessing)
52. El imperio digital (Leando Zanoni)
54. Reflexiones sobre periodismo (Esther Vargas e Sofía Pichihua)
55. Filopolítica: filosofía para la política (Antoni Gutiérrez-Rubí)
58. 32 tendencias de cambio (Antoni Gutiérrez-Rubí)
62. Reflexiones sobre comunicación, tecnología y sociedad (Carlos Arcila y Argelia Ferrer)
63. La investigación en periodismo digital (editores José Lassa y Fernando Turmo)
65. Ciberjornalismo: metodos de investigación (eds. Marcos Palacios y Javier Noci)
66. Dictadura del diseño (Carlos Carpintero)
67. Contra el copyright (Richard Stallman, Wu Ming, César Rendueles e Kembrew McLeod)
71. Cibercultura y literaturaRecursos para la creación digital (Claudio Ariel Clarenc)
72. Cibercultura y periodismo (Claudio Ariel Clarenc)
73. DeSEO aprender (Claudio Ariel Clarenc)
74. Crónicas del receso 2009 (Claudio Ariel Clarenc)
75. Cacerolazo 2001, Una mirada inicial a los media (Claudio Ariel Clarenc)

Quatro alternativas criativas ao Power Point

Não raras vezes nos queixamos e ouvimos queixar do Power Point. E no entanto, de alguma forma, bem ou mal todos nós alguma vez o utilizámos. Sem pretender diabolizar esta ferramenta da Microsoft, sugerimos quatro alternativas criativas que deixam o programa da Microsoft a algumas léguas de distância em qualidade, apresentação e satisfação.
Claro que há os programas concorrentes, como o de software livre Open Office, Star Office, ou o Keynote da Apple. Ou mesmo de algumas suites virtuais como o Google Docs, Zoho, etc… Mas o que aqui se trata é de outra coisa. Escolhemos quatro formas de conceber e realizar apresentações absolutamente diferentes.

1 – Prezi

2 – Documenta

Documenta

3 – Slide rocket

Sliderocket

4 – VCASMO

Vcasmo

Pacote de software para Educação da Adobe

A Adobe lançou recentemente um pacote especial de software, especialmente destinado a alunos mais jovens e educadores, intitulado Adobe Digital School Collection (ADSC). Disponível para os ambientes MAC e Windows, o pacote inclui os programas Adobe Photoshop Elements 10, Adobe Premiere Elements 10 e Adobe Acrobat Pro X.

As versões “Elements” são mais fáceis de usar do que as versões profissionais. Têm menos recursos do que as versões Pro, mas a maioria dos recursos que faltam raramente são usadas por públicos mais jovens e menos experientes na sua manipulação.
A nova versão do Acrobat pode incluir áudio e vídeo nos arquivos PDF, facilitando a construção de portefólios no formato PDF. Do mesmo modo, pode ser utilizado na criação de sites.

Adobe education

Com este software, os alunos podem criar projetos e apresentações que combinam fotos, filmes com efeitos e documentos multimedia, tal como e-portefólios ricos em elementos multimedia.

Centro de Recursos

Do mesmo modo, a Adobe disponibiliza recursos para os professores utilizarem com os seus alunos. O seu centro de recursos (Adobe Education Exchange) fornece um vasto conjunto de matérias de interesses para professores e educadores, tais como planos de aula, currículos, guias de tecnologia, tutoriais, e exercícios de vária ordem. Não apenas para os três programas disponibilizados no pacote educação mas também para outros recursos como o Illustrator.
A comunidade de associados, na sua grande maioria professores, aproxima-se dos 40 mil, continuando a crescer.

10 lugares para criar e alojar sites grátis

Soluções fáceis e acessíveis para quem quer construir um site estão cada vez mais à mão de semear no universo web. Escolhemos por isso 10 sítios onde, de forma simples, descomplicada e gratuita cada um pode construir o seu pequeno espaço no mundo virtual.
Em todos eles o registo é simples e não é necessário possuir conhecimentos de qualquer tipo de linguagem própria para construir websites e navegar na internet. Todos eles oferecem várias soluções em termos de apresentação design e grafismo, cada uma mais apelativa que a outra. É questão de experimentar.

1 – WEBBLY

 

Weebly

2 – WEBS

Webs


3 – WIX

Wix


4 – JIMDO

Jimdo

5 – HPAGE
Hpage


6 – YOLA

Yola


7 – GOOGLE SITES

Google sites


8 – WEBSTARTS

Webstarts


9 – WOPOP

Wopop


10 – EZWEB123

Ezweb123

Criar e publicar uma página Web em segundos

Poderíamos até apostar qual a maneira mais rápida de criar uma página web. Mas, com certeza, a perderíamos. Nada é tão rápido como o pen.io, um projecto que reinventou a forma de publicar na web de forma rápida, clara e descomprometida.
A ideia, segundo os seus autores, que iniciaram o projecto em Fevereiro passado, numa brincadeira de fim de semana, era, literalmente, encontrar a forma mais rápida de publicar online.
A premissa por trás do Pen.io é permitir que qualquer um possa publicar na web sem ter que criar uma conta, passar por um processo de inscrição ou possuir nenhum conhecimento técnico.
Claro que a melhor maneira de verificar é testar. Então é ir até a Pen.io, onde apenas vai encontrar dois campos para preencher: o nome da página e a senha de acesso. Basta clicar no botão “Create the page”.
A título de exemplo, acedemos ao site e criamos a página professortic, que ficou com o seguinte endereço: http://professortic.pen.io/

Pen io

  • Para editar/modificar o título da página, url da página ou corpo do texto, basta clicar no texto. As Alterações serão guardadas automaticamente. Para editar a página em uma data posterior, basta visitar o endereço criado (no nosso caso… professortic.pen.io/edit/) ou clicar em editar no atalho disponível no fundo da página.
  • Para inserir um vídeo adicionar a tag “:video “http://youtube.com/urlofvideogoeshere (sem as aspas)
    Para inserir uma nova página no seu site adicionar a tag :page” em qualquer lugar (sem as aspas).
    Para inserir uma imagem, basta arrastar e soltá-la no local onde a quer publicar.

Como se pode ver, não é necessário registar domínio, criar um novo blogue, ou mesmo se inscrever para criar uma nova conta.

Simples, não?