Criar e publicar uma página Web em segundos

Poderíamos até apostar qual a maneira mais rápida de criar uma página web. Mas, com certeza, a perderíamos. Nada é tão rápido como o pen.io, um projecto que reinventou a forma de publicar na web de forma rápida, clara e descomprometida.
A ideia, segundo os seus autores, que iniciaram o projecto em Fevereiro passado, numa brincadeira de fim de semana, era, literalmente, encontrar a forma mais rápida de publicar online.
A premissa por trás do Pen.io é permitir que qualquer um possa publicar na web sem ter que criar uma conta, passar por um processo de inscrição ou possuir nenhum conhecimento técnico.
Claro que a melhor maneira de verificar é testar. Então é ir até a Pen.io, onde apenas vai encontrar dois campos para preencher: o nome da página e a senha de acesso. Basta clicar no botão “Create the page”.
A título de exemplo, acedemos ao site e criamos a página professortic, que ficou com o seguinte endereço: http://professortic.pen.io/

Pen io

  • Para editar/modificar o título da página, url da página ou corpo do texto, basta clicar no texto. As Alterações serão guardadas automaticamente. Para editar a página em uma data posterior, basta visitar o endereço criado (no nosso caso… professortic.pen.io/edit/) ou clicar em editar no atalho disponível no fundo da página.
  • Para inserir um vídeo adicionar a tag “:video “http://youtube.com/urlofvideogoeshere (sem as aspas)
    Para inserir uma nova página no seu site adicionar a tag :page” em qualquer lugar (sem as aspas).
    Para inserir uma imagem, basta arrastar e soltá-la no local onde a quer publicar.

Como se pode ver, não é necessário registar domínio, criar um novo blogue, ou mesmo se inscrever para criar uma nova conta.

Simples, não?

Estudar o universo de forma interativa

Para os amantes da astronomia e da astrofísica, a Microsoft disponibiliza um telescópio mundial que permite, de uma forma interativa, viajar pelo universo, guiado por astrónomos, com acesso às imagens originárias de inúmeras fontes, como o telescópio Hubble.
O WorldWide Telescope (WWT) permite a exploração do universo através das imagens da Terra e dos melhores telescópios do mundo, associando-lhe a navegação 3D. Através da funcionalidade TOURS, é possível ao utilizador criar o seu próprio passeio espacial e partilhá-lo com outros, o que, desde logo, a torna uma ferramenta educativa de grande alcance.
Os utilizadores Windows apenas precisam de instalar um software (Windows Client), gratuito, disponibilizado no sítio. Os utilizadores MAC  devem instalar o Microsoft Silverlight 4.0 fazendo as suas experiências no navegador de internet.
Associado a esta iniciativa está o Programa de Embaixadores do WorldWide Telescope  (WWTA), da responsabilidade dos investigadores da Harvard University, WGBH, e da Microsoft Research. Os embaixadores WWT são voluntários especialistas em astronomia que são treinados para serem especialistas em usar o WWT como ferramenta de ensino.
Os entusiastas desta iniciativa estão a criar percursos interactivos do universo que depois partilham com escolas, locais públicos e online. Esses recursos estão a ser disponibilizados gratuitamente, assumindo-se como recursos interessantes na aprendizagem da astronomia e da astrofísica.
Guias curriculares, planos de aula e outros recursos adicionais estão à disposição de professores e estudantes interessados em explorar e aumentar os seus conhecimentos acerca do universo.
Mais informações sobre o programa podem se encontrados em http://www.wwtambassadors.org.

Mapa-mundo interativo

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) lançou um mapa-mudo interativo em 3 línguas (português, inglês e espanhol) que permite analisar dos principais dados estatísticos de todos os países do mundo.
O mapa procura funcionar como uma janela eficiente para as diferenças estatísticas que marcam o nosso mundo e que se sentem na qualidade de vida que experienciamos no dia a dia.

Mapamundo

Desde os números da população, passando por indicadores económicos e sociais e dados relativos à performance dos países relativamente ao ambiente, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística apresenta uma ferramenta que permite, igualmente, comparar as diferentes informações estatísticas entre os diversos países.
O mapa-mundo inclui a análise dos progressos realizados nos oito Objetivos de Desenvolvimento do Milénio até 2015 definidos pela ONU, que postulam determinados objetivos sociais e relativos à qualidade de vida que devem ser atingidos até 2015, a saber: erradicar a pobreza e a fome; universalizar a educação primária; promover a igualdade entre sexos e a autonomia das mulheres; reduzir a mortalidade na infância; melhorar a saúde materna; combater o HIV/SIDA/AIDS, a malária e outras doenças, garantir a sustentabilidade ambiental e estabelecer uma parceira mundial para o desenvolvimento.

As principais ameaças à segurança do computador

As ameaças aos nossos computadores presentes na internet são mais que muitas e há que estar atento e prevenir-se o melhor possível. Recorrendo a várias pesquisas condensamos neste post as 19 maiores ameaças presentes na rede e para as quais não podemos deixar de olhar com atenção, sob pena de vermos a nossa privacidade e segurança irremediavelmente invadidas.

1 — ADWARE

Programa que, quando instalado, executa, mostra ou descarrega, automaticamente, publicidade para o computador, sempre que este estiver conectado à internet.

2 — BACKDOOR (Porta dos fundos)

Falha de segurança que pode existir num programa de computador ou no sistema operativo, que poderá permitir a invasão do sistema por um cracker para que possa obter um controlo total da máquina. Muitos crackers utilizam-se de um Backdoor para instalar vírus ou malwares (programas maliciosos).

3 — BOT

Pequeno programa informático que permite aos hackers tomarem o controlo remoto do sistema. Simula acções humanas, geralmente numa taxa mais elevada do que seria possível para um utilizador. Botnets são grupos de computadores infectados por bots preparados para actuarem em conjunto. Os ciber-criminosos enviam instruções para estes computadores, incluindo comandos para transferir malware para o sistema, mostrar publicidade ao utilizador, lançar ataques de negação de serviços e, acima de tudo, distribuir SPAM.

4 — COOKIES

Pequenos ficheiros de texto que muitas páginas web implantam nos computadores para recolher informação sobre os utilizadores (páginas visitadas, carrinhos de compras, gostos…), de modo a personalizar e agilizar acessos futuros.

5 — CRACKER

Pessoa com conhecimentos avançados a nível de programação de computadores, que se dedica à compreensão de sistemas informáticos e à descoberta de códigos de acesso a outros computadores, para quebrar sistemas de segurança. Os objectivos deste indivíduo são maliciosos, ilegais e sem ética.


Web hosting

6 — CYBERBULLYING

Acto intencional e repetitivo, dirigido a crianças ou adolescentes, que envolve a utilização das Tecnologias da Informação e Comunicação para denegrir, humilhar, ameaçar ou praticar outro comportamento mal intencionado.

7 — Dialer

Programa instalado sem o conhecimento do usuário que usa o modem do computador para ligar para números de tele-sexo e similares, para que o utilizador pague a conta.

8 — HACKER

Pessoa com conhecimentos avançados a nível de programação de computadores, que se dedica à compreensão de sistemas informáticos e à descoberta de códigos de acesso a outros computadores. Os objectivos deste indivíduo não são maliciosos, apenas, pretende aprofundar os seus conhecimentos e descobrir falhas de segurança.

9 — HOAX (Embuste)

Histórias falsas, recebidas por email, redes sociais e na Internet, em geral, cujo conteúdo, além das conhecidas correntes, consistem em apelos dramáticos de cunho sentimental ou religioso, supostas campanhas filantrópicas, humanitárias, falsos vírus que ameaçam destruir, contaminar ou formatar o disco rígido do computador.

 10 — KEYLOGGER

Programa capaz de registar tudo o que o utilizador digita. Captura e organiza as teclas pressionadas pelo utilizador, no teclado do seu computador, incluindo mensagens instantâneas, o corpo do texto de emails, endereços electrónicos, sítios web visitados, palavras-chave, moradas, números de cartões de crédito, contas ou outros dados privados.

11 — MALWARE

Software destinado a infiltrar-se no sistema do computador, de forma ilícita, com o intuito de causar danos ou obter informação confidencial ou não.

12 — PHISHING (Pescar)

Método de recolha de informação, geralmente, por email, que visa obter dados pessoais e confidenciais (números de cartões de crédito, informações de contas bancárias, passwords…), para acessos, não autorizados, a computadores, contas bancárias e outros.

13 — POP-UP

Janela automática que se abre quando se acede a um página web ou a uma hiperligação específica para fins publicitários ou de informação adicional.

14 — ROOTKIT

Tipo de malware cujo principal objectivo é camuflar-se dos softwares de segurança do utilizador, usando diversas técnicas avançadas de programação. Estas aplicações têm a capacidade de interpretar as solicitações ao sistema operativo, podendo alterar o seu resultado. Estas escondem a sua presença no sistema, através das chaves de registo; e os seus processos, no gestor de tarefas.

15 — SPAM

Mensagens de correio electrónico, não solicitadas, com fins abusivos (anúncios enganosos, mensagens de phishing, publicidade…), que enchem as caixas de correio electrónico dos utilizadores e aumentam o volume de tráfego na internet.

16 — SPYWARE

Programa malicioso que permite a recolha de informação de computadores, por parte de desconhecidos e divulga, essa informação, a entidades externas de Internet, sem conhecimento e consentimento por parte dos utilizadores. Geralmente, o spyware surge integrado em programas não fidedignos ou quando se acede a um site de Internet.

17 — TROJAN (Cavalo de Tróia)

Programa malicioso que contém um pacote de vírus que, geralmente, é utilizado para destruir um computador. Os trojans são disfarçados de programas legítimos, não criam réplicas de si e são instalados, directamente, no computador com o intuito de executar operações sem consentimento do proprietário do equipamento.

18 — WORM (Verme)

Programa malicioso, semelhante ao vírus, que se propaga dentro de um computador, originando cópias de si mesmo. Replica-se automaticamente e multiplica-se com tanta rapidez que pode provocar danos irreversíveis no equipamento.

19 — VÍRUS

Programa malicioso que pode danificar ficheiros e, até mesmo, o disco rígido do computador. Os vírus agregam-se a determinados programas e ficheiros que, quando estes arrancam, o vírus actua, propagando, assim, uma infecção. As formas mais comuns de propagação são através dos dispositivos de armanezamento amovíveis e ficheiros enviados por email.

Fontes: edicatic.info, Folha Online, Wikipedia

5 sites de emprego para professores

Para os professores que estão no desemprego e procuram boas alternativas, sugerimos uma visita aos sites que se seguem. Não custa nada. Nunca se sabe se o futuro não está mesmo à disposição de um click.

1 — Academia.edu

Academia

Academia.edu é uma comunidade com mais de 650 mil membros cujo objectivo principal é partilhar conhecimentos, submeter artigos para análise, e, como qualquer rede social, seguir pessoas cujo trabalho nos possa interessar particularmente. Através da rede é disponibilizada uma secção de oferta de emprego um pouco por todo o mundo. Nunca se sabe…

2 — Teachanywhere.com

Teachanywhere

A Teachanywhere.com é uma agência especializada no recrutamento de professores de e para todo o mundo.

3 — TES

Tes

Uma rede de serviços e de apoio aos professores, com ofertas de emprego e recursos para a atividade docente.

4 — Joyjobs.com

Jobjoys
Sítio de recrutamento de professores para todo o mundo. Não faltam os conselhos, as dicas e, naturalmente, uma variada oferta de empregos em vários países.

5 — International School Jobs

Internacionalschooljobs

Sítio de recrutamento de docentes para todo o mundo. Além de uma vasta lista de empregos disponíveis, o site permite a submissão de currículos.