Está na hora de escolher um tablet

Professor que se preze terá, a muito, curto, curtíssimo prazo, de investir num tablet. Vai ter que reciclar o “caixote” do PC, deixar o portátil em casa, eventualmente dispensá-lo, e começar a pensar em como rentabilizar todas as potencialidades dos tablets. Em casa e na escola. Dentro e fora da sala de aula.
A guerra dos novos equipamentos ainda mal começou mas já se anuncia longa, dura, inevitável. E, no meio dessa batalha, os professores serão mobilizados como um dos corpos mais importantes dos seus utilizadores, na medida em que poderão definir muitas das tendências, determinar muitos caminhos, reinventar a sua utilização, influenciar a sua aquisição, definir o b-a-ba da tecnologia do futuro.
Apesar de o conceito não ser novo, a capacidade criativa, a qualidade técnica e a inovação da Apple fizeram toda a diferença quando, no início do ano passado, o iPad foi apresentado. No entanto, se o “brinquedo” da marca da maçã é o mais apetecido, o mercado está a ser invadido pelos potenciais concorrentes, cada qual a tentar agarrar uma fatia do bolo, que, para já, é quase todo de Steve Jobs.
Na hora de escolher, leia e compare.

iPAD – O supra sumo dos tablets

Com preços a variar entre os 508 euros para a versão de 16 GB sem 3G e que podem atingir os 813 euros para a versão 64 GB com 3G (de acordo com a informação da Loja Apple) este é o tablet de referência, e à volta do qual todas as outras marcas vão girar. Com o iPad, a Apple re-inventou o conceito democratizou o seu uso.
Basicamente a Apple pegou no conceito vencedor do seu iPhone e transpôs o mesmo para um tablet com um ecrã de 9,7″ multi toque com uma resolução de 1024*768 pixeis.
Além do mais pode utilizar as mais de 300 mil aplicações do iPhone, uma quantidade fantástica, quando comparada com os poucos milhares que os outros equipamentos já conseguiram desenvolver.
Preço: Entre 508 e 813 euros

Samsung Galaxy Tab – O concorrente mais sério

O Samsung Galaxy Tab é o primeiro tablet oferecido pela concorrência que efectivamente possui as características necessárias a nível de software e hardware para concorrer directamente com o iPad. A esse facto não é alheio o seu sucesso de vendas.
Disponível em modelos com capacidades entre os 16 GB (614 euros) e os 32 GB (949 euros), está equipado com um processador Arm Cortex A8 a 1 Ghz, possui 512 MB de RAM, um ecrã multi toque de 7″ com resolução de 1024*600 e placa aceleradora PowerVr SGX 540.
Preço: entre 614 e 949 euros

Archos 7 – Uma alternativa(??)

O Archos 7 é uma opção económica e uma alternativa viável aos tablets da Apple e da Samsung. Os preços variam entre os 155 euros para o modelo de 2 GB, passando pelos 169 euros para o modelo de 8 GB. Em termos de preço… é quase imbatível.
Todos os modelos possuem uma SLOT micro SD para expansão dada a baixa memória de armazenamento oferecida.
Dado o seu preço, a qualidade do ecrã e a sua sensibilidade ao toque estão bem longe dos produtos lideres de mercado.
Preço: 169 euros

Archos 9 – Um tablet com Windows

O Archos 9 encontra-se num patamar muito superior ao seu irmão Archos 7. Custa 449 euros e o seu sistema operativo é o Windows 7, o que poderá ser a única possibilidade viável aceite por muitos.
O seu ecrã é táctil, com 9″ e uma resolução de 1024*600, com uma qualidade considerada pela crítica como excepcional.
Com um ecrã táctil considerado pela crítica como excepcional, trata-se de um excelente notebook em formato tablet. Apesar de estar longe de muitas das características do iPad ou do Galaxy tab, a utilização da plataforma Windows 7 como base pode sempre cativar alguns utilizadores.
Preço: 449 euros

Dell Streak – O híbrido

Será ele um tablet com telefone ou apenas um telefone grande? Há quem lhe chame de híbrido, dado que permite conjugar o melhor de um smartphone e de um tablet num único produto, tornando-o diferente da concorrência.
Preço: 569 euros

Tablet Nvsbl P4D V1 – Levezinho

Com apenas 250 gramas de peso (o iPad pesa 700g) este tablet utiliza o sistema Android e um ecrã tácil de 7 polegadas, webcam integrada, portas USB e wi-fi.
Preço: 200 euros

Tablet BlackBerry PlayBook – para executivos

O tablet da RIM (Research In Motion), empresa famosa pelos seus telemóveis destinados ao mundo empresarial, foi desenhado para competir ombro a ombro do o iPad destina-se também aos profissionais. Com um ecrã de 7 polegadas tem características muito interessantes como por exemplo suporte para múltiplas áreas e reprodução de video HD 1080p … Deverá ser lançado no primeiro trimestre de 2011.
Preço: deverá rondar entre os 1500 e os 2000 euros

Tablet HTC Flyer

O HTC Flyer deverá chegar ao mercado em Março, equipado com a última versão do sistema Android (Android 2.3 Gengerbread), ao contrário da maioria dos fabricantes que tem anunciado a adopção do sistema Android 3.0 Honeycomb, o sistema operativo móvel especialmente desenhado para tablets.
Vem equipado com um ecrã de 7 polegadas, resolução de 1024 x 600 pixels, wi-fi e 3G, câmara frontal de 1.3 Mpx e uma traseira de 5 Mpx com flash LED e reconhecimento facial.
Sem preço definido

HP Slate 500 Tablet PC – um PC táctil

Dois em um? Talvez, já que utiliza o sistema windows mas prescindindo do teclado. Vem equipado com um ecrã de 8,9 polegadas e uma resolução de 1020 x 600 px. Vem equipado, conter outras coisas, com 2 GB de memória RAM e uma memória SSD de 64 GB, dupla webcam, um adelas com 3 Mpx, e ligações wi-fi, bluetooth, leitor de carões SD, uma porta USB e ainda saía e entrada de audio.
Preço: 800 dólares

5 Aplicações Web fantásticas para Professores

O mundo web está cheio de inúmeras ferramentas que, devidamente utilizadas podem ser ajudas preciosas para os professores. Muitas vezes, aliás, o problema é escolher, sabendo, no entanto, que aquilo que hoje é a aplicação ideal para um determinado conteúdo, outro dia já não o será. Por isso é que é preciso estar atento e, a par e passo, adoptar as aplicações que, em cada momento, ajudam o professor a melhorar a sua performance, contribuindo de forma decisiva para o sucesso dos seus alunos. Escolhemos 5 aplicações fantásticas para experimentação e aplicação.

EDITGRID

EditGrid é uma espécie de folha de cálculo (tipo Excel) online com grandes capacidades. Se está a planear uma viagem escolar, ou a programar as aulas para o próximo período, o Editgrid pode ser a ajuda certa para o que procura.

CLASSMARKER

ClassMarker é um serviço online que permite aos professores criar testes, formulários, perguntas de sim/não, com possibilidade de integração desses dados num num website e partilhar com os alunos todas estas funcionalidades.

BRAINHONEY

Brainhoney é uma aplicação que permite a qualquer utilizador, a partir da sua casa, dar, por exemplo, uma palestra online. Do mesmo modo, permite fornecer conteúdos extra aos alunos durante os fins de semana ou durante as férias, sem ter que ir à escola. A aplicação permite a criação de actividades, tarefas, exercícios ou mesmo cursos completos.

CREATE DEBATE

Promover o debate e o confronto de ideias, levando os alunos a melhorar a sua autoconfiança nem sempre é uma tarefa fácil. Esta plataforma permite a realização de debates online, ajudando o professor a avaliar, analisar e sintetizar os tópicos de estudo, promovendo, ao mesmo tempo, o debate entre os alunos.

BACKBOARD

Backboard é uma forma mais rápida e eficaz de os estudantes terem opinião e aprovação dos seus documentos, por parte dos professores. Basta enviar o ficheiro para a plataforma e convidar o professor ou colegas para dar uma opinião sobre o documento. Podem ser adicionadas notas, citações e realce de texto para dar a opinião.

Conferência online de informática educacional

A PROINOV, empresa de consultoria em gestão, formação e multimédia, leva a efeito, entre os próximos dias 7 e 19 de Fevereiro, a Conferência Online de Informática Educacional, realizada no âmbito de dois projectos de investigação do Mestrado em Ciências da Educação – especialização em Informática Educacional, da Universidade Católica Portuguesa, sob a coordenação do Professor José Reis Lagarto.

Apesar do prazo para a entrega de trabalhos já ter terminado, ainda é possível inscrever-se como participante até ao dia do início do evento.

A Conferência pretende reunir professores de todos os níveis de ensino, interessados no desenvolvimento do conhecimento e na partilha de experiências no âmbito da utilização das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) nos processos de ensino e de aprendizagem, enriquecendo as experiências nos contextos de trabalho e de aprendizagem formal e informal.

Pretende-se ainda dar a conhecer algumas tecnologias da Web 2.0 e discutir sobre o seu potencial educativo nos contextos de ensino e de aprendizagem.

Esta conferência oferece aos professores e formadores a oportunidade de colaborarem com os seus pares na construção de novos conhecimentos e aprenderem sobre novos recursos, contribuindo para a sensibilização e promoção da aprendizagem informal através da optimização das TIC.

Sendo que a literatura científica tem apontado o trabalho colaborativo como uma estratégia em ascensão para o desenvolvimento profissional, esta conferência pretende promover, entre os professores, a actualização de conhecimentos e a partilha de experiência e de práticas pedagógicas com as TIC.

Objectivos gerais da Conferência
  • Reflectir sobre o papel do professor/profissional da educação face às exigências do séc. XXI e à necessidade de formação ao longo da vida;
  • Reflectir, analisar e partilhar boas práticas da integração das TIC na educação, assim como na formação contínua dos professores;
  • Facilitar o trabalho em rede e a partilha de experiência e conhecimentos entre os inscritos através de diferentes tecnologias.

Ter um site com domínio e alojamento gratuitos

Hoje é fácil pôr um um blog ou site de pé. No entanto, muitas vezes não gostamos que, regra geral à frente do nome que escolhemos, haja algo do género “blogspot.com”, “wordpress.com”, “livejournal.com”, … e outras terminações que retiram identidade ao nosso projecto.

Claro está que registar um nome “.COM” é fácil, mas custa algum dinheiro. E mais dinheiro custa se pretendermos comprar um espaço de alojamento, seja no país ou no estrangeiro.

Para pequenos projectos, no entanto, e para o trabalho que os professores desenvolvem, seja para disponibilizar material, seja para publicar um portefólio, ou trabalhos de alunos, há algumas soluções que evitam os “acrescentos” de que falámos, e nos garantem alojamento gratuito suficiente para os nossos trabalhos.

Apresentamos duas soluções para quem quer ter um domínio próprio e, para não estar a gastar dinheiro em tempo de recessão, um espaço de alojamento gratuito. Os custos serão sempre os do tempo que demoramos e gastamos a preparar os conteúdos. Não há desculpas.

1 – Domínio próprio: DOT.TK

Nada mais simples. Vá ao site Dot.tk. Registe o nome que quiser. Rápido, sem qualquer complicação. Ficará algo do género: http://meudominio.tk.

Dot TK é um empreendimento conjunto (joint venture) com o Governo de Tokelau, um país no Pacífico Sul, da empresa de comunicações do país Teletok e de da BV Dot TK, uma empresa privada. O Governo de Tokelau nomeou BV Dot TK como entidade de registo exclusiva. A BV Dot TK opera como Registry Dot TK .

É grátis. Pode alojar também nesse espaço, mas arrisca-se a ter anúncios de outros. O melhor mesmo é fazer o registo e saltar para o item seguinte:

2 – Alojamento grátis: 000webhost.com

De posse de um domínio próprio, o passo seguinte é registar-se  num “webhosting” (alojamento) gratuito. Vá a 000webhost.com. Este alojamento oferece-lhe 1500 MB de espaço e 100 GB de transferência de dados mensais. O seu modo de funcionamento é igual aos alojamentos profissionais, oferecendo um vasto conjunto de ferramentas, através do “CPanel”, nomeadamente para a instalação de vários tipos de sites e de blogues onde o que temos que fazer é juntar conteúdo, porque tudo o resto já lá está.

Escrever e trabalhar na nuvem

A linguagem popular sempre foi pouco simpática com o andar nas nuvens. Mas a verdade é que tudo muda. Hoje, uma das formas mais avançadas para trabalhar é, não nas nuvens, mas “na nuvem”. Que é o mesmo que dizer, não precisamos de ter tudo junto de nós para podermos trabalhar.

Voltamos aqui a falar de espaços online onde se pode fazer quase tudo, sem qualquer necessidade de termos programas no nosso terminal de computador, a não ser o browser de navegação. tudo o mais pode ser feito online.

No último ano, estas três ferramentas registaram várias melhorias, e, por isso mesmo, continuam no topo dos melhores serviços que podemos encontrar de forma gratuita na web.

1 – Think free online

O serviço oferece um conjunto para escritório web gratuito com 1 GB de armazenamento online. Podemos utilizar vários dispositivos para aceder. Esta plataforma disponibiliza, entre outras aplicações, um processador de texto, filha de cálculo, vizualizador de apresentações tipo power point. Do mesmo modo, é compatível com os tradicionais documentos .doc, .xls, e . ppt . O sistema funciona me todos os sistemas operativos, Windows, Mac e Linux, dando a possibilidade de os documentos produzidos se manterem privados ou de serem disponibilidades para consulta online para qualquer pessoa.

2 – Zoho

Zoho talvez seja a ferramenta de trabalho online mais completa disponível na “na nuvem”. Processador de texto, folha de cálculo, apresentações, conferência web, bloco de notas, base de dados, criador de relatórios, organizador, agenda, gestão de projecto, entre outras aplicações, fazem desta plataforma um espaço completo onde qualquer professor tem tudo o que precisa para trabalhar e preparar o seu trabalho, seja em casa ou na escola. A plataforma possibilita a partilha de documentos, um espaço grátis de 1 GB, clip art, imagens… etc. Só é preciso estar ligado à net.

3 – Google Docs

O Google Docs é um plataforma mais simples que permite a produção de documentos vários, incluindo DOC, XLS, ODT, ODS, RTF, CSV, PPT, etc. Entre as suas ferramentas mais interessantes está a produção de questionários que os professores podem elaborar. Uma vez dado o link de acesso aos alunos, quando estes respondem às questões, que podem ter várias formas e estruturas, o professor tem, em tempo real, acesso às respostas individuais, ao mesmo tempo que fica com uma vasta gama de dados estatísticos que atestam o aproveitamento individual e do grupo.

7 Aplicações web Open Source de gestão de projetos

Num mundo em que as aplicações estão a tornar-se on-line, é cada vez maior o número daquelas que realizam todo o tipo de serviços evitando que tenhamos que descarregar para os nossos computadores as aplicações de base. Graças a várias tecnologias, não há limite para as funcionalidade que é já hoje possível explorar em ambientes on-line. Entre as ferramentas que mais se destacam neste processo, estão as de gestão de projecto, de que já aqui falámos em diferentes posts.

1 – Codendi

Codendi é uma plataforma open-source de desenvolvimento colaborativo oferecido pela Xerox. A partir de uma única interface, reúne todas as ferramentas necessárias para as equipas de desenvolvimento de software: gestão e controlo de versão de código, bugs, requisitos, documentos, relatórios, etc. É usado principalmente para o gestão de processos de projeto de software.

2 – Redmine

Redmine é um projeto de gestão de projetos flexível, podendo ser definido como uma multiplataforma e banco de dados. Inclui gráficos e gráficos de Gantt para auxílio e representação visual dos projetos e seus prazos.

3 – ProjectPier

ProjectPier é uma aplicação de gestão de tarefas, projetos e equipas através de uma interface web intuitiva que facilita o processo de comunicação nas tarefas colaborativas.

4- Project HQ

Semelhante ao Basecamp (aplicação on-line com período gratuito de 30 dias) o Projeto HQ é baseado em tecnologias open source, totalmente independente dos banco de dados que usa um fluxo de trabalho estruturado para nos ajuda a gerir os nossos projetos.

5 – Collabtive

Iniciado em novembro de 2007, o Collabtive pretende ser uma alternativa Open Source para ferramentas proprietárias como o Basecamp ou ActiveCollab.

6- Feng Office

É uma solução completa on-line focada na melhoria da produtividade, colaboração, comunicação e gestão de equipas. As suas características principais incluem gestão de documentos, contatos, e-mail, projetos e do tempo. Os documentos de texto e apresentações podem ser criados e editados on-line. Os arquivos podem ser enviados, organizados e compartilhados, independente dos formatos de arquivo.

7- Clocking IT

ClockingIT é uma solução gratuita que ajuda o grupo de trabalho a ficar concentrado e focado nos objetivos do projeto.