A nova escola e o iPAD

Ainda a generalidade dos professores não tirou o sumo ao Magalhães e produtos congéneres e novos desafios se colocam agora à actividade docente. Não há dúvida que dentro de muito, muito pouco tempo, computadores como o Magalhães irão fazer parte daquelas recordações que nos provocam um leve sorriso. Pois…

O iPad (e de uma forma genérica os “tablets”), embora não tenha chegado oficialmente a Portugal, é a ferramenta que se segue. E por mais voltas que se dê… não há volta a dar. E porquê? Porque sem estar já está. Porque ocupa um novo espaço na tecnologia, ainda não completamente definido, mas que é susceptível de ser significativo ao longo do tempo. Um espaço situado algures entre os telemóveis e os computadores portáteis. Uma nova posição, em que a nova tecnologia faz não apenas o que os outros fazem mas vai para além disso, oferecendo muitas outras possibilidades.

O iPad tem tudo para personalizar a aprendizagem. O modelo de transferência de conhecimento que conhecemos até agora está a chegar ao fim. O iPad vem com as ferramentas necessárias para ajudar os professores a criar novas formas para combater esse problema.

Com o iPad adivinha-se o fim das redes. “Quando tempo não desperdiçamos a fazer o login? quantas vezes a rede vai abaixo?” O iPad pode suportar todas as aplicações que os estudantes precisam para trabalhar seja num dia, numa semana ou num mês.

O iPad vai reduzir a necessidade dos técnicos de informática nas escolas. Actualmente, os professores perdem imenso tempo em questões técnicas, o que retira dinâmica à sua actividade principal. O iPad precisa de pouca ou manutenção, a instalação de software é simples, rápida e fácil. Não há necessidade de qualquer suporte técnico. Uma questão fundamental, já que liberta o professor e o coloca dono e senhor da tecnologia.

Podemos então dizer adeus às salas escurecidas, cheias de máquinas, cabos, fios por todo o lado. A tecnologia vai deixar de estar sempre presente, sem ser omnipresente e agressiva.

O iPad é como uma folha em branco onde professores e alunos poderão desenvolver aplicativos específicos para ensino e aprendizagem.

Os educadoras poderão trabalhar com desenvolvedores para criar software novo e inovador que correspondam às necessidades do aluno e as expectativas em tecnologia.

Assumidamente nova ferramenta indispensável à Educação, o iPad, com todas as suas características, vai transformar por completo a forma como os jovens, e não só, aprendem. Vai revolucionar a forma como os professores educam e ensinam. Estejamos preparados.

Não perder o video.

[vsw id=”nHiEqf5wb3g” source=”youtube” width=”560″ height=”340″ autoplay=”no”]

Aplicações Google para a escola

O Google Apps for Education oferece um conjunto gratuito e sem anúncios de ferramentas personalizáveis que permitem que professores, funcionários e estudantes trabalhem em grupo e aprendam de forma mais eficiente.

A plataforma para a educação da google assenta em três pontos principais:

• Comunicação – Fomento do diálogo com e-mail hospedado, agendas compartilhadas e chat por vídeo integrado.

• Colaboração – O Google Docs e o Google Sites permitem que alunos e professores compartilhem documentos on-line a qualquer hora e em qualquer lugar.

• Infraestrutura e segurança – Permite a integração dos sistemas de Tecnologias de Informação existentes com o Google Apps, e mantendo o domínio da escola em segurança.

Podem aceder às contas do Google Apps dezenas de serviços do Google que antes estavam disponíveis apenas através de Contas pessoais do Google, como o blogger, o Picasa ou o google Voice.

Principais aplicações do Google Apps:

  • Gmail – E-mail rápido, pesquisável, com menos spam
  • Google Agenda – Organizar e compartilhar eventos
  • Google Docs – Criar e compartilhar documentos, apresentações e apresentações on-line
  • Grupos do Google – Criar listas de e-mail e grupos de discussão
  • Google Sites – Crie websites e wikis de grupo seguros
  • Google Videos – Hospedar e transmitir vídeos com segurança

[vsw id=”OAfzcYWh5Gg” source=”youtube” width=”425″ height=”344″ autoplay=”no”]

Sincronizar arquivos do Office com o Google Docs

Já por várias vezes aqui falámos da ferramenta Google Docs e das potencialidades que oferece em termos de trabalho on-line e de colaboração intensiva e partilhada entre várias pessoas. No seguimento da sua estratégia de arregimentar mais adeptos, a Google prepara-se para lançar novas funcionalidades ao Google Docs, e, desta forma, tentar retirar quota de mercado ao Office da Microsoft.

Através de um novo recurso, chamado Google Cloud for Microsoft Office, já disponível em fase de testes, é possível sincronizar os ficheiros Office que temos no nosso computador com o Google Docs, disponível online.

Para usar o serviço, o utilizador instala um complemento ao Office, como se fosse uma nova barra de tarefas. Uma vez que o aplicativo sincronize o arquivo com o Google Docs, ele ganha um endereço na web, por onde o utilizador poderá sempre acedê-lo, seja através do navegador de um computador ou de um telefone celular.

Quando o utilizador aceder ao documento pela internet, poderá utilizar todos os recursos do Google Docs, como receber modificações de vários utilizadores ao mesmo tempo. O site mantém um histórico das modificações realizadas e sincronizando-as com o arquivo armazenado no computador, de modo que o utilizador tenha sempre acesso sempre à versão mais actualizada do arquivo.

Esta é uma ferramenta muito semelhante à já utilizada por outra plataforma colaborativa, que já aqui apresentamos, a Zoho, que há muito disponibiliza um programa de sincronização entre o Office e o Zoho Writer.

É preciso também não esquecer que a Microsoft disponibiliza há já alguns meses uma versão dos seus aplicativos Office on-line, que permite visualizar, editar e partilhar documentos on-line. Com esta ferramenta, ao criar um arquivo num aplicativo do Word, Excel ou PowerPoint instalado no computador, o utilizador tem a opção de salvá-lo directamente no SkyDrive, disco virtual integrado ao Hotmail. A desvantagem é que o documento registado on-line não é sincronizável com o arquivo no computador.

Registe-se, no entanto, que o caminho que seguimos vai, cada vez mais, para trabalharmos sempre on-line, sem necessidade de instalarmos aplicações no nosso computador. Hoje já é possível fazer isso na grande maioria das tarefas comuns à maioria das pessoas.

Já dissemos adeus às disquetes. Estamos a despedir-nos dos CD’s e dos DVDs. Não tarda nada, vamos mandar as pen-drives e os discos externos às malvas. Mais rápido do que se imagina.

Edmodo – Um Facebook privativo

Edmodo parece e funciona muito como o Facebook. Mas, ao contrário da mais famosa rede social, é um ambiente controlado que os professores podem efetivamente aproveitar para incentivar o envolvimento da turma. A plataforma permite que professores e alunos compartilhem ideias, arquivos e trabalhos numa área comum. Os professores podem organizar diferentes grupos de alunos e monitorizá-los a partir do mesmo painel. Uma vez as turmas organizadas, estas podem postar as atribuições nessa página comum e classificá-las online.
Há vários aspetos que tornam o site mais seguro que o Facebook: Há um código de grupo de segurança que os utilizadores precisam para poder visualizar as páginas de discussão da turma e, embora alunos e professores podem comunicar-se reservadamente, não há nenhuma função de comunicação privada entre os alunos.
Entras as vantagens disponíveis, destacamos a possibilidade de contacto com outros professores, um calendário de grupo onde os alunos podem facilmente consultar, e uma versão móvel que permite aos professores moderar discussões a partir de de qualquer lugar.

Disponível também em português. Siga o link.

Edmodo

[vsw id=”TzPHQr1ONaA” source=”youtube” width=”425″ height=”344″ autoplay=”no”]

Blogues de e para crianças

Iniciar as crianças no mundo dos blogues nem sempre é fácil já que a grande maioria das plataformas está pensada para adultos, sem condições de segurança próprias para os mais pequenos. Sugerimos o site Kidblog foi pensado para responder a essa questão. Não faz publicidade para crianças, não pede emails e endereços e dá ao professor um poder de moderação completo. Além do mais é gratuito.

Em primeiro lugar o professor cria o seu grupo. Uma tarefa simples que leva 20 segundos. Tem desde logo acesso à base de trabalho onde pode inscrever os seus alunos/membros. Do mesmo modo, define os graus de privacidade da turma.  São oferecidas várias opções: O blogue pode ser visível a todos os visitantes, apenas aos membros da turma, a convidados ou apenas para o professor.

O mesmo princípio é válido para os comentários.

Tanto os textos como os comentários podem ser moderados pelo professor.

Uma plataforma vivamente aconselhável para fomentar a participação online dos alunos de uma forma segura e controlada.

Organizar a página de entrada na net

Symbaloo é um desktop virtual que cria uma página inicial para o seu navegador com os principais sites e serviços da web. Indo de encontro aos princípios da  Web2.0 o serviço tem um visual moderno e simples e um perfil interativo onde o utiliador pode configurar a a página de entrada como quiser. O site coloca os principais serviços web, como Google, Wikipédia, Youtube, IMDB, LastFM, iTunes, etc, e fornece um atalho para a busca direta nesses serviços, tudo na mesma página.

Para utilizar o Symbaloo não é necessário nenhum registo, pois o serviço trabalha com cookies, e mesmo que se tenha fechado o programa as configurações ficarão salvas. Além dos serviços de acesso rápido e busca, o site também oferece um série de ferramentas rápidas para leitura de Rss, calculadora, torrents, legendas e muitos mais.

Disponível em vários idiomas, entre os quais o português.

Clique na imagem para aceder ao site.

[vsw id=”axIx2PSkmn4″ source=”youtube” width=”545″ height=”432″ autoplay=”no”]

Criar uma linha do tempo

Criar uma linha do tempo. Há várias soluções para criarmos linhas do tempo, a maior parte delas pagas, ou por períodos gratuitos curtos.

Mostramos hoje uma plataforma que disponibiliza espaço para criarmos as nossas linhas do tempo, com acesso livre, de forma gratuita. Basta inscrever-se e começar a introduzir os dados que queremos. Além de visualização directa no site, podemos embeber o nosso trabalho no nosso site ou blogue.

Siga este link

Nunca foi tão fácil criar uma linha do tempo.