I Encontro Internacional TIC e Educação

O Instituto de Educação da Universidade de Lisboa leva a efeito, nos próximos dias 19 e 20 de Novembro, o I Encontro Internacional TIC e Educação — ticEDUCA2010,  dedicado à problemática do uso das TIC ao serviço da aprendizagem.

Tendo como ponto de partida trabalhos ilustrativos de diferentes realidades, locais, nacionais e internacionais, o I Encontro Internacional TIC e Educação assume como principais objectivos:

  • Divulgar práticas de inovação curricular com TIC desenvolvidas nas escolas portuguesas e em outros contextos de formação e aprendizagem;
  • Reflectir sobre os modos mais adequados para documentação, comunicação e disseminação dessas práticas;
  • Analisar a investigação realizada e discutir os trabalhos empíricos em desenvolvimento visando a utilização criativa e inovadora das TIC;
  • Identificar áreas prioritárias de intervenção e de investigação como contributo para a plena utilização dos recursos digitais disponíveis, dentro e fora da escola.

O Encontro ticEDUCA2010 dirige-se a investigadores, professores, educadores e outros profissionais ligados à formação e ao ensino e aprendizagem com as TIC.

É também um espaço especialmente destinado a estudantes de doutoramento nomeadamente na área da utilização das TIC para fins educativos ou formativos.

    Jogos Educativos para crianças

    Podemos dizer que a Internet esta enxameada de sites para crianças. Por isso, muitas vezes, a principal dificuldade é escolher. Sugerimos alguns sítios incontornáveis, com jogos para todos os gostos e feitos:

    1 — Iguinho

    Site brasileiro com dezenas de aplicações paras as mais variadas idades, com jogos, diversões animações, arete, música, etc. Dos melhor que há.

    2 — O Leme

    Directório que inclui um espaço dedicado às crianças, com inúmeras ligações para outros sites temáticos.

    3 — Júnior

    Site da Texto editora, em flash, com variadas actividades e sugestões.

    4 — Sítio dos Miúdos

    Um clássico já dos sítios para crianças, com jogos, passatempos, pintura virtual…

    5 — Turma da Mónica

    Alegre, divertido, A turma da Mónica oferece muitas alternativas de diversão e aprendizagem.

    Outros sites interessantes:

    6 — Disney

    7 — Cartoon Network

    8 — RTP Infantil

    9 — Noddy

    10 — Clube do Solzinho

    Buscas em tempo real no Google

    Google apresenta ferramenta melhorada para buscas em tempo real.

    A Google anunciou no seu blogue oficial uma nova versão do seu motor de busca. O Real Time permite agora aceder em tempo real a tudo o que se está a escrever na Web – blogosfera, sites noticiosos e redes sociais – sobre um determinado termo e numa zona geográfica específica.

    A nova versão da ferramenta ainda não está disponível – existem problemas no acesso ao site –, mas Dylan Casey, um dos directores de Produto da Google, afirmou que se trata de um serviço que “dá à informação em tempo-real numa nova casa” e que disponibiliza “ferramentas mais poderosas” para ajudar os internautas a encontrarem o que procuram.

    A Google já permitia acesso imediato às informações publicadas na Web, mas a nova versão do Real Time, cuja edição antiga foi lançada em Dezembro de 2009, tem agora a particularidade de permitir buscas refinadas sobre tudo o que se está a dizer no mundo ou em lugares específicos sopre um determinado tema.

    Ver o video:

    Fonte: Público, Google

    Neutralidade da Internet

    Uma boa iniciativa, a seguir pelas democracias:

    O Chile publicou uma lei que protege o princípio da neutralidade da Internet, tornando-se o primeiro país do mundo a fazê-lo.
    De acordo com o site especializado em Internet e tecnologia Fayerwayer, citado pela edição online do diário espanhol El País, o deputado Gonzalo Arenas, precursor da iniciativa, mostrou-se muito contente com a publicação da norma em Diário Oficial, “porque é um grande progresso para salvaguardar os direitos dos utilizadores da Internet”.
    A lei chilena define que os fornecedores de acesso à Internet não podem “arbitrariamente” bloquear, interferir, discriminar, impedir ou restringir “o direito de qualquer utilizador” a usar, enviar, receber ou oferecer qualquer conteúdo, aplicação ou serviço legal através da Internet.

    Fonte: Diário de Notícias

    Elearning – Formar-se em casa

    A formação online ganha cada dia mais adeptos e, em alguns países, boa parte do ensino superior é administrado por esta via.

    Em termos gerais, o ensino à distância pode-se definir de acordo com as seguintes características:

    – Normalmente, o professor e os alunos estão separados no espaço ou no tempo. O professor está separado dos alunos e, por sua vez, cada aluno também pode estar separado do restante grupo de aprendizagem.

    – A distribuição da informação, a comunicação entre o professor e o aluno e entre os alunos é mediada por meios técnicos. Estando o professor e os alunos separados no espaço ou no tempo é necessário introduzir meios de comunicação artificiais, suportados nas tecnologias de comunicação e informação, que permitam distribuir a informação e que sustentem mecanismos de interacção entre os dois grupos de intervenientes.

    – O controlo do itinerário da aprendizagem (conteúdo, tempo de estudo e ritmo) é decidido pelo aluno. A responsabilidade do controlo da aprendizagem é delegada ao aluno cabendo a este decidir os conteúdos a estudar, o tempo a dedicar ao estudo e o ritmo de aprendizagem.

    – A maioria dos alunos são “adultos” com mais de 25 anos, emprego a tempo inteiro e com um elevado grau de motivação, que procuram alternativas de formação profissional.

    Por esta e outras razões, o ensino à distância é cada vez mais uma opção viável, confiante que será, com certeza, o caminho mais utilizado na educação no futuro.

    Num mundo em que o tempo é o bem mais precioso, o adaptar da formação às necessidades individuais, a possibilidade de estudar em qualquer lugar a qualquer hora, permite alargar os horizontes do ensino tradicional. Liberdade de estudo, flexibilidade de horários, custos reduzidos, e um fácil acesso a diversos conteúdos no país de origem ou no estrangeiro são algumas das maravilhas do e-Learning.

    E Portugal, a principal instituição de ensino à distância é a Universidade Aberta. Há no entanto outras instituições onde é possível ter boa formação, nomeadamente ao nível da formação específica e contínua para professores.

    A outro nível, temos o MIT (Massachusetts Institute of Technology) nos EUA, com a sua plataforma OCW (OpenCourseWare), ou as Universidades de Aveiro e Porto, em Portugal. Estas instituições fazem uso das suas plataformas de e-Learning como complemento dos seus cursos tradicionais. No caso do MIT a oferta recai sobre cursos de graduação e pós-graduação online e gratuitos, os quais, no entanto, não conferem qualquer certificado; já as duas universidades portuguesas mencionadas unem a sua oferta formativa à disponibilização online relacionada com a mesma, tendo até disciplinas leccionadas exclusivamente neste modelo de ensino.

    Através de plataformas de e-Learning os alunos podem aceder a espaços específicos para cada disciplina. Nestes espaços, além dos conteúdos programáticos, têm acesso a actividades, orientação pedagógica, bem como fóruns onde podem ser discutidas diversas temáticas e ser esclarecidas dúvidas com professores e colegas.

    Esta disposição global de recursos e informação, a apresentação de trabalhos em vídeo ou a criação de portfolios online, aliam-se às novas tecnologias, onde tudo se passa sem ser necessária simultaneidade de tempo e espaço entre os intervenientes, mas sem quebrar a interacção entre estudantes e entre docentes e estudantes.

    No seu carácter prático, o e-Learning move-se num sentido diferente do ensino tradicional, e ainda que promova a partilha e interacção virtual não parece ser uma ameaça às universidades tradicionais. É, sim, um complemento, um novo recurso, que não substituirá de todo a relação mestre/discípulo, fundamental na aprendizagem e no crescimento pessoal.

    Ver o video: